"Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus lhes respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! porque o reino de Deus está dentro em vós." (Lucas 17: 20-21).

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Reflexão sexta - feira

Quando os outros dez ouviram isso, ficaram indignados com os
dois irmãos. Jesus os chamou e disse: “Vocês sabem que os
governantes das nações as dominam, e as pessoas importantes exercem
poder sobre elas. Não será assim entre vocês. Ao contrário, quem
quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo, e quem
quiser ser o primeiro deverá ser escravo; como o Filho do homem,
que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em
resgate por muitos”.  Mateus 20:24-28



   Será que os dez ficaram indignados porque Tiago e João pediram
favorecimento, ou porque pediram antes deles? Uma lição positiva
que podemos tirar deste triste episódio nos dias nascentes do
Cristianismo é que lutas por poder e posição sempre existiram – até
entre os apóstolos. A mesma solução que Jesus deu para os doze
ainda serve para nós: vamos olhar para aquele que, embora Rei,
viveu como servo. Quando cedemos à tentação de pensar que somos
mais do que realmente somos, é bom lembrar a palavra que Jesus usou
para descrever o que foi dado por nós – resgate. Não éramos nem
servos; éramos presos condenados, cada um. Viver como servo hoje é
o privilégio de ex-condenados. Que Deus nos dê discernimento de
quem nós éramos e quem nós agora somos, graças a Jesus (Rom 12:3).
Que possamos viver ao longo deste ano novo como quem nós agora
somos – filhos do Rei!

Missão Vida trabalha na recuperação de moradores de rua há 30 anos



A Missão Vida, atuante em seis estados brasileiros, foi fundada em 1981 por Wildo Gomes dos Anjos, e é voltada para a reabilitação de dependentes químicos e moradores de rua. A entidade é ligada à Igreja Presbiteriana, e já havia sido destaque no Especial Projetos Sociais do Gospel+.
Ontem, a ONG foi tema de uma reportagem da série Dedicação Total, do Fantástico. Wildo revelou que inicialmente o trabalho da missão abrangia apenas 12 moradores de rua, e hoje, soma 550 leitos em todas as unidades.
Wildo destaca que a ajuda visa restaurar a dignidade através da oferta de oportunidades: “A pessoa chega sem absolutamente nada. Então ele precisa de banho, corte de cabelo, de roupa, calçado, comida, remédio. Eu não acredito em recuperação sem atividade profissionalizante. Nós temos oficinas de marcenaria, de artesanato, plantio, lavoura, criação de animais. Dignidade é você ter uma casa, é você ter um emprego, é você não depender de esmola, é você não depender de cesta básica”.
A reportagem acompanhou a chegada de um interno, que viveu nas ruas por 30 anos, e há uma semana não tomava banho: “Cortei o cabelo, fiz a barba, tomei um banho. Outrora eu estava em uma situação caótica, deplorável mesmo. Agora não. Já senti uma reação”, contou o homem.
Um dos ex-internos ouvidos pela reportagem, destacou que a ajuda prestada pela Missão Vida o fez retomar sua vida: “Não tenho vergonha do meu passado. Agora é criar os meus filhos, que eu me casei de novo, tenho duas filhas, uma com 12 anos, outra com 6. Os outros meus filhos um está se formando em direito, o outro, em elétrica”.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+
Ciente de seu papel junto à sociedade, o Gospel+ disponibilizou um espaço voltado para divulgação de projetos sociais focados em ajudar ao próximo.
Acreditamos que a transformação da sociedade acontece não só através da palavra, mas também de ações efetivas e eficazes, com demonstração de amor ao próximo.
Se você conhece ou desenvolve um projeto social que precise de divulgação, entre em contato conosco através do endereço redegmais.com.br/contato e nos conte! Informe as áreas de atuação, formas de colaboração, meios de contato e visitas, para que possamos colaborar e servir ao Pai, servindo seus filhos.

Mensagem de Ano Novo 2013 – CODEX Anti-Cristo



Segundo as Escrituras, os últimos dias seriam muito trabalhosos. Para além das atividades do Anti- Cristo cujo objectivo é perseguir a igreja, a Noiva do Cordeiro, há também a considerar fenomenos da natureza, resultado de fatores tanto de agressão ao sistema ecológico como outros.
Jesus respondeu a uma pergunta de um discípulo, como seria o fim do mundo, a saber:
“Atenção para que ninguém vos engane. Pois muitos virão em meu nome, dizendo: ‘O Cristo sou eu’, e enganarão a muitos. Haveis de ouvir falar sobre guerras e rumores de guerras . Cuidado para não vos alarmardes. É preciso que essas coisas aconteçam, mas ainda não é o fim . Pois se levantará nação contra nação e reino contra reino. E haverá fome e terremotos em todos os lugares. Tudo isso será o princípio das dores. Nesse tempo, vos entregarão à tribulação e vos matarão, e sereis odiados de todos os povos por causa do meu nome. Então muitos sucumbirão, haverá traições e guerras intestinas. E surgirão falsos profetas, em grande número e enganarão a muitos. E pelo crescimento da iniquidade, o amor de muitos esfriará. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo. E este Evangelho do Reino será proclamado no mundo inteiro como testamento para todas as nações. E então virá o fim” Mt 24:4-14.
A advertência de Jesus para que ninguém se deixe enganar é para que se considere que nem tudo o que se ouve ou que se escreve deverá ser levado em conta.
O CODEX ANTI-CRISTO, tema central desta mensagem de Ano Novo trata de conhecer as activdades do Diabo contra os que testemunham e anunciam as Boas Novas. Os males que são referidos na mensagem profética de Cristo tais como terramotos, fomes guerras rumores de guerras fazem parte das aflições do mundo que teêm os seus profetas como é o caso de 21/12/2012 , referente aos Maias e a outros catastrofistas, como Nostradamus e falsos mestres.
O CODEX ANTI- CRISTO é revelado nos segredos do Livrinho, Ap. 6:4-8.
À medida que o tempo do fim se aproxima o cavalo vermelho, o cavalo preto e o cavalo amarelo, símbolos da perseguição e morte (Salmos 2) ; economia (Apocalipse 13:17) e finalmente o cavalo amarelo, que representa as doutrinas que poluem os falsos evangelhos e a promiscuidade sexual, procurarão incrementar a luta contra os seguidores do Cordeiro.
O CODEX ANTI-CRISTO também é simbolizado, a saber:
“….na praça da Grande Cidade que se chama simbolicamente Sodoma e Egipto, onde também o Senhor delas foi crucificado” Apocalipse 11:8.
As igrejas deverão vigiar porque já é a última hora. Precisamos de não temer, ser perseverantes, não entristecer o Espírito e não deixar arrefecer o amor a Deus e ao próximo. Bem aventurado é todo aquele que aguarda o Senhor, Maranata.
Fraternalmente,
casal com uma missão,
Amilcar e Isabel Rodrigues

Igreja Católica inaugura Tele-Exorcismo



A Igreja Católica da Itália deu início a um serviço de “tele-exorcismo”, em Milão, a sua maior diocese. O motivo é a crescente demanda dos fiéis para que se expulsem demônios. Monsenhor Angelo Mascheroni, exorcista-chefe da diocese desde 1995, afirma que, ao longo dos últimos 15 anos, a cúria já nomeou o dobro de exorcistas para lidar com uma duplicação do número de pedidos de ajuda.
“Recebemos muitos pedidos para fornecer os nomes, endereços e números de telefone, de padres exorcistas. Por isso, criamos uma central de atendimento na cúria, que funciona de segunda a sexta das 14:30 às 17:00. As pessoas com necessidades específicas podem ligar e serão atendidas por um de nossos padres. Desse modo, eles não terão que viajar muito longe para resolver os problemas dos supostos possessos”, explicou o padre.
O monsenhor disse que um exorcista pode atender por telefone até 120 pessoas por dia. “Infelizmente, com tão pouco tempo ele só consegue oferecer uma rápida bênção para cada um que liga. Isso não é suficiente”, disse. “O ideal é que os exorcistas consigam atender de duas a quatro consultas diariamente, caso contrário o serviço não será totalmente eficaz”.
A cúria não sabe por que o número de supostos endemoninhados subiu tanto. Porém, o Mascheroni credita parte desse aumento ao crescente número de pais que têm dificuldade em controlar os filhos desobedientes.
“Geralmente, pais ligam porque estão preocupados com uma adolescente que não quer ir para a escola ou que usa drogas ou simplesmente se rebelou. Na realidade, não é um demônio, mas nessa faixa etária os jovens não querem que lhes digam o que fazer. ”
O religioso sabe que muitas pessoas preocupadas e vulneráveis ​​corriam o risco de encontrar charlatões. “Esses aproveitadores exigem dinheiro. Nós damos o nosso tempo, damos a bênção… tudo de graça. Não poderia ser de outra maneira. ”
O monsenhor enfatiza que todos os que procuraram ajuda foram atendidos. Mas acrescentou: “Pela minha experiência, os fenômenos diabólicos verdadeiros são muito raros.” Ele culpa esse comportamento incomum a “distúrbios psiquiátricos”, na maioria dos casos. Traduzido do jornal Independent.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Reflexão Sexta-feira

Enquanto estava subindo para Jerusalém, Jesus chamou em
particular os doze discípulos e lhes disse: “Estamos subindo para
Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos chefes dos
sacerdotes e aos mestres da lei. Eles o condenarão à morte e o
entregarão aos gentios para que zombem dele, o açoitem e o
crucifiquem. No terceiro dia ele ressuscitará!”- Mateus 20:17-19


   É a terceira vez que Jesus fala em sua morte e a primeira vez em
que ele descreve o modo – crucificação. Enquanto Jesus descreve
para os discípulos as bênçãos da vida no porvir, ele tenta
ajudá-los a ver que o caminho que os levará para lá é o de serviço
e abnegação. Antes que os discípulos possam subir ao céu para
receber suas recompensas, Jesus precisa subir para Jerusalém para
ser crucificado. Para que eles pudessem ser libertados, Jesus tinha
que ser condenado. Para que eles pudessem viver, Jesus tinha que
morrer. E o mesmo se aplica a nós. Como o Senhor nos amou! Como
ainda somos amados! Não há palavras nem obras que possam expressar
nossa gratidão o suficiente. Mas para Jesus, uma vida vivida para
ele serve muito bem. Que Deus lhe ajude a mostrar a seu Senhor hoje
o quanto você é grato por tudo que Ele fez.

Por André Sanchez:10 pastores que não respeito e não admiro



Por 


Maus líderes existem aos montes dentro das igrejas. O joio está espalhado dentro da igreja como ensinam as escrituras (Mt 13. 26). Isso não é novidade para ninguém. Apesar de designar aqui o termo “pastores” a essas pessoas que citarei abaixo, não tenho a intenção de diminuir aqueles que fazem jus a esse termo tão lindo mostrado nas escrituras, e que realmente pastoreiam de coração as ovelhas do Senhor. Usei esse termo somente para facilitar a identificação dessas pessoas.
OS DEZ PASTORES QUE NÃO RESPEITO E NÃO ADMIRO:
1- O que faz do púlpito um palco de shows = A exposição da Palavra é esquecida e substituída pelo talento hollywoodiano desse pastor, que explora as mais diversas técnicas para cativar os seus expectadores, fazendo do show o protagonista do culto. Ele é a estrela e não Cristo e Sua palavra. Seu púlpito é lugar de entretenimento, de show, e não de pregação, de transmissão da voz de Deus.
2- O que explora financeiramente as ovelhas = Esse pastor é muito ambicioso e tem planos de crescimento. Porém, para a realização dos seus planos, precisa de muito dinheiro. E esse dinheiro é retirado das ovelhas, através das mais diversas técnicas de extorsão (legais) – e algumas vezes ilegais e antiéticas. Ele não liga para o que a Bíblia ensina e inventa formas de arrecadação para realizar seus sonhos megalomaníacos. As ovelhas são iludidas, exploradas e sugadas até a última gota que podem dar.
3- O que insiste em querer fazer a agenda de Deus = Um pastor que quer determinar lugar, dia e hora para Deus agir não merece meu respeito. Segunda-feira: Deus age na família; terça-feira: nas finanças; quarta-feira: Deus dá o Espírito Santo; quinta-feira: Deus faz conversões e sexta-feira: Deus liberta as pessoas de demônios. Deus agora está preso em uma agenda criada pelo homem? Para esse pastor, Deus deve adequar-se à sua programação semanal.
4- O que ilude as pessoas com amuletos, objetos ungidos e unções que não vêm de Deus = Esse pastor escraviza pessoas em crendices e superstições que não são encontradas e ordenadas na Bíblia. Desvia a fé que deveria ser unicamente no Deus soberano para objetos e unções – falsas – e extravagantes. Trabalha com a ilusão, com a ambição, com a falta de conhecimento de muitas das ovelhas que lhe ouvem. É um ilusionista do púlpito!
5- O que “profetiza” o que Deus não mandou profetizar = Usa sua influência sobre as pessoas para “profetizar” e “revelar”. Porém, não usa a Bíblia, que é a revelação e é onde se encontram as profecias de Deus para a vida de seus servos. Lança profecias das mais variadas para as pessoas. Normalmente suas profecias são absurdas e vazias, porém, a cegueira e falta de conhecimento das pessoas sobre a Palavra de Deus, abre portas para que essas “profecias” sejam cridas como verdade.
6- O que faz com que seus fieis o adorem = Ele é visto como um semideus pelos seus fieis. Ele é o poderoso, ele faz milagres e sinais acontecerem, ele é o rei e o centro dos cultos. O pior de tudo é que não faz nada para mudar essa situação, pois adora ser paparicado, adora status, adora demonstrar seu grande “poder” e ser ovacionado pela multidão. Seu prazer é ver multidões afluindo em sua direção com desejo de glorificá-lo. Não prega para pouca gente, só aparece quando tem pessoas suficientes para massagear seu ego insuflado.
7- O que usa o dinheiro das ofertas para seu próprio enriquecimento = Esse pastor-empresário é formado e pós-graduado em enriquecimento usando a igreja. Tem fortuna e bens luxuosos, tudo adquirido com a ajuda das ofertas dos membros de sua igreja e de quem mais querer ajudá-lo a “evangelizar”. Segundo ele diz, todo o dinheiro das ofertas é usado para a obra de Deus, porém, seu patrimônio o acusa. Ele engana multidões – e babacões – que bancam sua vida de ostentação e riqueza, pois não podem questionar a palavra do todo poderoso líder.
8- O que prega a teologia da prosperidade = Um pastor que diz que pobreza é maldição, que o crente verdadeiro será reconhecido pela sua prosperidade material, e outras abobrinhas sem embasamento bíblico, não merece admiração. Se a teologia da prosperidade é um câncer como alguns dizem, esse pastor é um espalhador de doenças no meio do povo.
9- O que usa versículos isolados da Bíblia para fundamentar doutrinas destruidoras = Esse pastor adora inventar doutrinas usando versos bíblicos isolados, cuja interpretação isolada, sem considerar contextos e outras boas regras de interpretação, favoreçam seus pensamentos e desejos. É um manipulador ardiloso dos textos sagrados, visando unica e exclusivamente que a Bíblia se enquadre em seus pensamentos e planejamentos.
10- O que [acha] que determina a ação de Deus = É uma piada dizer que um homem determina algo ao Todo-Poderoso, mas essa ousadia acontece. Palavras ousadas saem da boca desse pastor, que ora determinando, ordenando, exigindo que Deus faça determinadas coisas que, segundo ele, Deus tem de fazer. Coitado, não tem nem noção da besteira que faz! E o pior: ensina as pessoas a agirem também assim!
NÃO POSSO ADMIRAR E RESPEITAR PASTORES COMO ESSES!

O Poder de Elias.


A oração de um justo é poderosa e eficaz. Elias era humano como nós. Ele orou fervorosamente para que não chovesse, e não choveu sobre a terra durante três anos e meio. Orou outra vez, e os céus enviaram chuva, e a terra produziu os seus frutos. (Tiago 5:16b-18)

Há dois tipos de lições que podemos extrair de um homem de Deus imperfeito. Podemos ficar inspirados a imitá-lo por causa de seu fracasso; isto é, visto que até mesmo Elias tinha suas imperfeições e momentos de fraqueza, somos encorajados a perseverar em nossas lutas. Mas Tiago nos leva numa direção diferente – ele nos aponta para o sucesso de Elias, e ao seu poder em oração como um exemplo para nós. A ênfase não é que, embora Elias fosse um grande profeta, ele era todavia falho como nós; antes, visto que Elias era um homem como nós, isso significa que podemos ser como ele! A lição não é que, porque ele fugiu e se retraiu, não deveríamos nos sentir desesperados quando nos encontramos fazendo a mesma coisa; em vez disso, a lição é que mesmo em nossa fraqueza e fragilidade humana, podemos aspirar ao poder do profeta.

Há uma terceira forma de aludir a um homem de Deus, e essa é quando pregadores e teólogos nos dizem: “Você não pode fazer isso. Você não pode ser como ele. Ele era um apóstolo”. Dessa maneira, eles tentam restringir nossa intrepidez, sufocar nossa fé e apagar o Espírito, mesmo quando o dom de Deus queima dentro de nós. É o chamado da incredulidade buscando companhia. Eles não aprenderam isso da Bíblia, e Tiago não nos ensina a pensar dessa forma. Antes, Tiago diria que Paulo era um homem assim como nós, e Pedro era um homem como nós, e visto que eles fizeram coisas maravilhosas para o Senhor, assim podemos nós, pois “a oração de um justo é poderosa e eficaz”. Nós confiamos no poder de Cristo, e ele é maior do que qualquer apóstolo ou profeta. Se Deus ouviu Paulo, Pedro e Elias, então ele nos ouve também. Tiago refere-se a Elias não para rebaixá-lo ao nosso nível, mas para que possamos subir ao nível dele.

Como deveríamos responder àqueles que ensinam incredulidade? Dizemos: “Certo, ele era um apóstolo, e evidentemente você é um zé ninguém. Assim, eu prefiro seguir o seu exemplo de fé e poder, e sua ousadia na pregação, do que seguir um perdedor como você. Ele era um apóstolo, e é precisamente por isso que imitarei o seu sucesso tanto quanto puder. Mas você quer que eu me torne um fraco, fracassado e impotente como você. Isso não acontecerá”. Ora, se a Bíblia nos ensina a imitar até mesmo Jesus, que é mais do que um homem como nós, então ela nos ensina a pensar como vencedores e empreendedores espirituais. Dessa forma, aprenderemos a fé de Abraão e de Raabe (2.20-26), a perseverança dos profetas e de Jó (5.10-11) e a fé e poder de Elias (5.17-18).

Nossos pregadores e teólogos gostam muito de Neemias, e referem-se a ele como um exemplo de confiança na providência oculta de Deus. Eu não tenho nenhuma objeção a isso. No entanto, Tiago não cita Neemias para ilustrar o tipo de poder que está disponível para nós em Cristo. Ele cita Elias, que orou e a chuva cessou durante três anos e meio, e orou novamente, e o céu deu chuva, e a terra produziu os seus frutos. Tenhamos sempre em mente que não seremos julgados pelos líderes e estudiosos incrédulos, mas pelo Senhor Jesus sobre como respondemos às suas palavras, isto é, ao que a Bíblia realmente ensina. Falso ensino dos homens nunca é uma desculpa, pois se somos tão facilmente seduzidos pela incredulidade, então deve haver alguma atração nele para nós em primeiro lugar. Mas Tiago fala a verdade, e ele encoraja a nossa fé. Jesus Cristo nos reconciliou com Deus, e agora nossas orações podem ser poderosas e eficazes, até mesmo como as orações de Elias.




Fonte: Sermonettes, Volume 4, p. 32-34

Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto – novembro/2011

Kleber Lucas se casa com ex-esposa de Romário



Na última sexta-feira (21) o pastor e cantor Kleber Lucas se casou com Danielle Favatto, ex-esposa do jogador Romário.
De acordo com o jornal Extra a assessoria do cantor confirmou a informação nesta quarta-feira sem informar onde aconteceu a cerimônia.
Em sua página no Facebook a noiva postou uma foto dela vestida de branco e com o buquê de flores enquanto alguns amigos comentaram no Twitter que estavam indo para o casório.
Kleber Lucas está divorciado de Luciana Costa desde 2008. O cantor tem dois filhos. Já Danielle tem uma filha com o ex-jogador.
O casal passou a lua de mel em Búzios, já que ele está em turnê divulgando o seu mais novo trabalho “Profeta da Esperança”.
Este é o terceiro casamento de Kleber Lucas.

sábado, 15 de dezembro de 2012

Reflexão Sabado

 Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas
vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até
sete vezes?” Jesus respondeu: “Eu lhe digo: Não até sete, mas até
setenta vezes sete.” Mateus 18:21-22



   Jesus acaba de mostrar a necessidade do Cristão confrontar o
pecado (18:15-17). Quando um discípulo peca ele precisa se
arrepender. E o irmão que foi objeto do pecado? Quantas vezes ele
deve sofrer o dano e ainda perdoar? Na época os rabinos cogitavam
até três vezes. Pedro aparentemente considerou que estava indo além
da conta com sete vezes. O que Jesus responde é que não há limite
para o perdão. É um pressuposto que o pecador neste caso está
arrependido (v. 15). Perdão é uma das coisas mais caras que o
Cristão pode dar. Custou a Jesus a sua vida. No entanto, o perdão
não tira nada de nós. Pelo contrário, ele só traz bênção. Paz
interior, reconciliação com o pecador e livramento da amargura.
Mas, talvez a maior bênção que o perdão nos traz, seja a justa
lembrança de que nós também somos devedores a Cristo do perdão que
ele nos deu – perdão este que, se tivesse sido limitado, deixaria
todos nós na perdição. Graças a Deus que o “setenta vezes sete” de
Jesus não é literal e sim apenas uma maneira de dizer “não tem
limite”. Graças a Deus. Agora é a nossa vez de compartilhar o que
já recebemos em abundância. Tem alguém que você precisa perdoar?

O Senhor do sábado



Como das outras vezes, Jesus é perseguido e criticado, não por criminosos ou prostitutas, mas pelo clero religioso. Os mesmos que conheciam as Escrituras as manipulavam ao seu bel prazer. Eles simplesmente passavam por alto a Palavra de Deus sem dar importância a ela sempre que isso fosse conveniente. Porém, quando seu poder e domínio sobre as pessoas eram ameaçados, eles empunhavam o bordão da Lei para trazer suas ovelhas de volta ao curral. Mas aqui eles estão falando com ninguém menos que o próprio Autor das Escrituras.
A razão das criticas que os fariseus agora fazem é que os discípulos de Jesus atravessavam um campo de trigo e, enquanto caminhavam, iam arrancando as espigas para comer os grãos, separados da palha pelo esfregar das mãos. Os fariseus não questionam o fato de colherem as espigas, pois a Lei permitia a um transeunte se alimentar da plantação alheia desde que o fizesse com as mãos, e não com uma foice. O que os religiosos questionam é eles estarem fazendo aquilo no sábado, o dia determinado por Deus para o descanso dos judeus.
Os fariseus conhecem a letra da Lei, mas não o Deus que lhes deu a Lei. Ao dar um dia de descanso Deus estava preocupado com o bem estar de suas criaturas. Jesus responde: “Vocês nunca leram o que fez Davi, quando ele e seus companheiros estavam com fome? Ele entrou na casa de Deus e, tomando os pães da proposição, comeu o que apenas aos sacerdotes era permitido comer, e os deu também aos seus companheiros” (Lc 6:3-4). Jesus coloca a sobrevivência do homem acima das minúcias da Lei. Afinal, tudo — o campo, o trigo e o sábado — haviam sido criados para o homem, e não o contrário.
A sobrevivência de Davi, o rei rechaçado por Saul, era mais importante do que as formalidades do templo. E na Bíblia Davi é uma figura de Cristo, o mesmo Messias que vem sendo repetidamente atacado pelo clero. “O Filho do homem é Senhor do sábado”, explica Jesus. Os fariseus deviam saber que Deus havia colocado o homem como cabeça de toda a Criação, porque isso estava mais do que explicado no livro de Gênesis. Agora eles têm ali o “Filho do homem”, título que revela a humanidade de Jesus, o Homem perfeito, que no seu devido tempo terá tudo sob seus pés. Ele é indiscutivelmente Senhor do sábado e de tudo mais.
Quem já trabalhou numa empresa onde existe um gerente que detesta ter em sua equipe alguém mais inteligente ou capaz do que ele sabe como se sentem esses líderes religiosos. A liderança deles está sendo ameaçada por um intruso que tem a audácia de contestar a interpretação que eles dão das Escrituras. Eles não se importam com a saúde e o bem estar de seus liderados, desde que não percam a posição que ocupam de pastores do povo de Deus e sua autoridade não seja contestada.
Autor: Mario Persona
Fonte: O evangelho em 3 minutos 

Íris Abravanel conta como se converteu ao Evangelho e revela que ora ao lado de Silvio Santos: “Ele se sente bem”. Leia na íntegra



Numa entrevista extensa e abrangente, a escritora Irís Abravanel, esposa do apresentador e empresário Silvio Santos, falou sobre sua conversão e prática de fé.
À revista IstoÉ, Irís falou ainda sobre sua família, profissão – atualmente escreve a novela “Carrossel” para o SBT – e relacionamento com o marido, que é judeu.
Irís afirmou que sua conversão se deu de maneira curiosa: “Foi dentro da minha casa. Eu não sabia, mas todos os meus funcionários eram evangélicos. Fui convertida pelo copeiro de casa, o José. Ele se alfabetizou pela Bíblia e espalhava versículos pela casa. Eu olhava aquilo e achava legal, mas para o José”, revela.
A escritora conta que sua aproximação com Deus se deu por frustrações e pelo desejo de viver uma experiência com Ele: “Em 8 de outubro de 1998, decepcionada com todas as outras religiões que havia experimentado, pedi para Deus que, se ele existisse, desse uma prova de sua existência. Estava em casa e pedi um café. O José me trouxe e logo foi dizendo: ‘Olha, dona Íris, ainda bem que a senhora me chamou. Eu estava lá no seu jardim e o meu Deus mandou eu te dizer que a senhora é muito amada por Jesus’. Comecei a chorar. Aí, ele me disse que todos os funcionários se reuniam para orar por mim e pela minha família. No dia seguinte, fui atrás de uma Bíblia para saber quem é Jesus. O José quis me dar a dele. E eu não quis. Aí, ele me disse: ‘Dona Íris, a senhora tem tudo. Esse é o melhor presente que eu posso lhe dar e a senhora não quer aceitar?!’ Foi a primeira lição que tive. Como somos soberbos”, disse Íris à revista.
Reservada, a esposa do apresentador mais famoso do Brasil afirmou que não é filiada a uma denominação em especial: “Não sigo uma igreja específica. Nunca imaginava que um dia eu seria crente na vida. Mas, desde a conversão, eu me enfiava em qualquer garagem onde se falava de Jesus. Queria aprender. A primeira igreja em que estive foi a Assembleia de Deus. A segunda, a Congregação [Cristã no Brasil]. Lembro que fui de saia e Bíblia na mão (risos)”.
Como o marido é judeu, as filhas foram criadas com ensinamentos da religião judaica. Íris, porém, afirma que nunca tentou se converter ao judaísmo, e que ora junto ao marido: “Não tentei me converter ao judaísmo. Eu nunca seria judia. As meninas (filhas) aprenderam hebraico e fizeram Bar Mitzvá, acho bacana. O Silvio é judeu, vai à sinagoga, mas ele está quase vendo que o Messias… quando a gente ora, o Silvio se sente muito bem. Às vezes, ele pede para a Patrícia orar”, revela, fazendo referência à filha que tem se arriscado como apresentadora no SBT.
Confira abaixo, a íntegra da entrevista de Íris Abravanel à revista Istoé:
Onde a sra. busca inspiração para escrever?
Impossível escrever uma história e não colocar um pouco do que você viveu, de livros que leu, de filmes a que assistiu. Uma vez cortei um pouco o cabelo das meninas (filhas) achando que isso fortaleceria o cabelo delas. As quatro chegaram à escola com cabelos tipo tigelinha. Aí, voltaram para casa p. da vida. Revivi um pouco disso em “Carrossel”. Nessa novela, insisti em cenas que mostram as crianças mais distantes de computadores, games, e mais dispostas a criar brincadeiras.
Coisas que a sra. fazia com as suas filhas?
Sim. Então, você vê chapéu sendo feito com jornal e coisas do tipo, para despertar a criatividade delas. Mexer com fantasia da criança é sempre saudável. Quando somos pequenos, criamos um amigo imaginário e isso é positivo porque, assim, resolvemos conflitos, diferenciamos o bem e o mal. A gente está conseguindo passar coisas edificantes para a criançada. Fui professora durante cinco anos. Sempre gostei de trabalhar com criança. Por mim, eu teria dez filhos.
Por que a sra. resolveu iniciar uma nova carreira perto dos 60 anos? 
Eu vinha percebendo a dificuldade do Silvio em contratar autores de novelas. Os melhores estavam na Globo ou na Record. E o contrato do SBT com a Televisa (emissora mexicana parceira do SBT) havia terminado. Aí, em um jantar, ele lamentava a dificuldade que vinha enfrentando. E eu disse: “E se eu escrever?” Na hora, eu pensava em resolver um problema dele. E acabei ganhando um problemão! Sofri preconceito no início. Muita gente dizia: “Ela vai ficar dois meses nessa e não vai aguentar, vai para o shopping”. Mas, como diz o Chaves (personagem de uma série televisiva mexicana), “não contavam com a minha astúcia”!
Qual foi a reação do Silvio Santos?
Quando perguntei ao Silvio o que achava de eu escrever novelas, ele me disse para ir em frente, mas para não retroceder depois. O nome da primeira novela, “Revelação”, foi o Silvio quem deu. Porque (eu fazer novela) seria uma revelação (risos). No começo, eu não era contratada pelo SBT. Trabalhei seis meses sem receber nada, até provar que eu seria capaz. Eu tinha um computador que não era de última, mas da primeira geração (risos). Eu fui montando a minha equipe com pessoas que conhecia. Éramos um exército de pernetas! Uma das colaboradoras, por exemplo, de professora de matemática passou a fazer cenas. Nós almoçávamos na minha casa. Foram seis meses de deserto, sem nenhum recurso. Hoje, sou funcionária do SBT. Tenho registro em carteira. Fazia pelo menos 30 anos que não tinha registro. Tive apenas um aumento, muito reivindicado, em cinco anos no SBT. Agora, com “Carrossel”, estou pensando em negociar de novo. Eu nunca tinha ido, por exemplo, sozinha ao SBT
E como foi a experiência? 
Cheguei na portaria um dia para uma reunião. Disse que eu me chamava Íris e tinha uma reunião marcada. Aí, me disseram: “Pois não, pode encostar ali do lado e aguardar.” E foi o que eu fiz. Fiquei ali aguardando até que a pessoa com quem eu ia falar avisou na portaria: “Vocês sabem quem é que está aí esperando?” Não sei bem o que aconteceu, ao certo, mas as portas se abriram e eu entrei (risos). E aí começou o respeito por mim, desde a portaria. Nunca falei “você sabe com quem está falando?” para alguém. Cada um no seu lugar, né? Logo depois, a minha equipe toda passou a ter crachá para entrar no SBT. Aí, não queriam dar um para mim, disseram que eu não precisaria. Eu chiei: “Como não preciso? Já fui barrada (risos)!” Aí, fui lá tirar foto e exigi crachá.
Como foi iniciar uma carreira na empresa do marido?
À medida que você vai se relacionando, as pessoas vão esquecendo quem está por trás de você e passam a enxergar o lado profissional. Algumas pessoas, quando veem que há coisas a serem modificadas no meu trabalho, ainda têm dificuldade de dizer isso para mim. Mas com o tempo a gente (ela e Silvio) vira doce de festa e as pessoas se acostumam com a nossa figura.
Ainda consegue administrar a casa como fazia antes?
Todos os nossos funcionários estão com a gente há mais de dez anos. Então, cada um já sabe o que fazer e eu não preciso ficar em cima. A coisa só muda quando a gente viaja. Aí, eu e o Silvio arregaçamos a manga. Eu faço a comida e o Silvio limpa a cozinha. Ele limpa a cozinha melhor do que eu. Limpa o fogão direitinho… Ele gosta de fritar bife. Tem o ponto da carne lá que ele gosta. E ele ama o Walmart, porque nesse supermercado tem de tudo.
Gostou quando Silvio assumiu os cabelos grisalhos na tevê? 
Eu estou acostumada, porque, quando a gente viaja, ele está assim. Mas achei o máximo ele se mostrar do jeito que é de verdade. Sabe por que gosto do grisalho? Porque o tom de pele dele fica mais suave, bonito. Mas tenho a impressão de que ele voltou a pintar o cabelo por causa da opinião das pessoas também.
O que aprendeu com o episódio do sequestro da sua filha Patrícia?
Doía muito (quando a filha estava em poder do sequestrador, em 2001). É como se tivesse arrancado um pedaço de mim sem anestesia. Com o sequestro, aprendi a demonstrar mais amor, carinho, pelas pessoas enquanto elas estão ao nosso lado. Disseram que a Patrícia estava com síndrome de Estocolmo (quando a vítima passa a ter simpatia e até sentimento de amor ou amizade pelo seu agressor). Ela não teve síndrome nenhuma. Ela, naquele momento, enxergou a diferença da vida de dois jovens, a dela e a dele (sequestrador). Esse episódio não mudou nada em nossas vidas. Continuamos vivendo sem seguranças por perto, nada. Nossa maior segurança é Deus mesmo.
A sra. é evangélica. Como se deu a sua conversão? 
Foi dentro da minha casa. Eu não sabia, mas todos os meus funcionários eram evangélicos. Fui convertida pelo copeiro de casa, o José. Ele se alfabetizou pela Bíblia e espalhava versículos pela casa. Eu olhava aquilo e achava legal, mas para o José. Em 8 de outubro de 1998, decepcionada com todas as outras religiões que havia experimentado, pedi para Deus que, se ele existisse, desse uma prova de sua existência. Estava em casa e pedi um café. O José me trouxe e logo foi dizendo: “Olha, dona Íris, ainda bem que a senhora me chamou. Eu estava lá no seu jardim e o meu Deus mandou eu te dizer que a senhora é muito amada por Jesus”. Comecei a chorar. Aí, ele me disse que todos os funcionários se reuniam para orar por mim e pela minha família. No dia seguinte, fui atrás de uma “Bíblia” para saber quem é Jesus. O José quis me dar a dele. E eu não quis. Aí, ele me disse: “Dona Íris, a senhora tem tudo. Esse é o melhor presente que eu posso lhe dar e a senhora não quer aceitar?!” Foi a primeira lição que tive. Como somos soberbos.
Frequenta alguma denominação evangélica específica? A sra. tentou se converter ao judaísmo?
Não sigo uma igreja específica. Nunca imaginava que um dia eu seria crente na vida. Mas, desde a conversão, eu me enfiava em qualquer garagem onde se falava de Jesus. Queria aprender. A primeira igreja em que estive foi a Assembleia de Deus. A segunda, a Congregação. Lembro que fui de saia e “Bíblia” na mão (risos). Mas não tentei me converter ao judaísmo. Eu nunca seria judia. As meninas (filhas) aprenderam hebraico e fizeram Bat Mitzvá, acho bacana. O Silvio é judeu, vai à sinagoga, mas ele está quase vendo que o Messias…quando a gente ora, o Silvio se sente muito bem. Às vezes, ele pede para a Patrícia orar.
Como conheceu o Silvio?
Eu o conheci em uma praia, no Guarujá (SP). Eu ainda dava aula e estava noiva. Tinha de 18 para 19 anos e ele o dobro da minha idade. Foi uma tragédia, porque, quando o meu pai soube, ficou doente. A gente começou uma amizade e demorou para a gente ficar junto. Eu me casei, antes, e o Silvio foi padrinho. Me separei depois de cinco anos. A família era contra eu me relacionar com homem de televisão.
Quem de vocês dois foi mais tolerante em relação às idiossincrasias do companheiro?
Eu era uma pessoa bem difícil, geniosa, meu ponto de vista tinha de prevalecer sempre, era teimosa. Hoje não. Como o Silvio, que também mudou, e hoje administra melhor o ciúme que ele sentia, por exemplo.
A separação que vocês tiveram nos anos 1990 tinha a ver com o ciúme também? 
Sim. Eu me sentia sufocada. Ele era muito ciumento, de controlar passo a passo. Depois desse episódio, ele aprendeu a administrar melhor. Foi uma briga de foice, de gigantes, eu com estilingue e ele com um exército (advogados foram contratados por ambas as partes). Depois que reatamos (permaneceram separados por cerca de seis meses), eu disse a ele: “Agora, não me separo nunca mais. Você vai ter de me aguentar para o resto da sua vida”.
 Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Ex-ator Guilherme de Pádua detalha crime contra filha de Glória Perez e revela que carta de idosa o fez superar o remorso: “Jesus te ama”. Assista na íntegra



O ex-ator Guilherme de Pádua concedeu uma entrevista ao repórter e apresentador Marcelo Rezende sobre o assassinato da atriz Daniela Perez.
O matéria foi veiculada pela TV Record no último domingo, 09/12, no programa Domingo Espetacular. Com 42 minutos de duração, a entrevista mostra as versões de Pádua, que hoje é evangélico, membro da Igreja Batista da Lagoinha, sobre o crime.
Segundo Pádua, ele nunca havia falado sobre o assunto com ninguém, além do depoimento dado ao tribunal, durante o julgamento. Na entrevista, detalhes do crime são relatados por ele e pelo chefe dos peritos que analisaram a cena, além da apresentação de imagens da perícia e da reconstituição do assassinato.
A reportagem não afirma, mas deixa no ar a possibilidade de que Guilherme não tenha matado a atriz Daniela Perez, filha de Glória Perez. Segundo o ex-ator, ele teria segurado a atriz pelo pescoço para apartar a briga dela com sua ex-esposa, Paula Tomáz, e após um certo tempo, Daniela teria desmaiado, e desesperado, ele chegou à conclusão de que ela estaria morta. Minutos depois, enquanto ele tentava encobertar o crime, Paula pegou uma tesoura e desferiu 19 golpes contra Daniela, o que causou uma hemorragia.
O chefe dos peritos apresentado na reportagem afirma que na autopsia, não foram constatados sinais de estrangulamento e asfixia, e a causa da morte foi hemorragia.
Pádua afirma não ter dúvidas que ficou marcado pelo crime, mesmo após ter cumprido um terço da pena em regime fechado e o restante, em condicional.
O ex-ator, atualmente técnico de informática da Igreja Batista da Lagoinha, afirmou que na época do julgamento, pensou em se matar, porém uma carta entregue a ele por uma senhora idosa, o fez mudar de ideia. Segundo Pádua, na carta a senhora pedia que ele não desistisse, pois Jesus o amava.
Convertido ao Evangelho, Pádua se tornou tema de um livro, Que Amor É Esse, escrito por Paula Maia, sua atual esposa. O livro foi apresentado pelo pastor Márcio Valadão durante um culto na Batista da Lagoinha.
Após a exibição da matéria pela TV Record, a mãe de Daniela, Glória Perez, escritora de novelas e atualmente trabalhando em Salve Jorge, criticou novamente o ex-ator. Para ela, Guilherme é um “michê vagabundo”.
Questionado por Marcelo Rezende sobre o que diria para Glória Perez caso estivesse frente a frente com a escritora, Guilherme afirmou: “Eu pediria só perdão. Não tenho como fazer nada por ela, não tenho esse poder. Eu sou a pessoa que fiz mal a ela”.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

“Deus tarda, mas não falha”: Conheça a origem de ditados populares que são usados por muitos pregadores como versículos bíblicos



Frases de impacto, soltas no meio de uma pregação emocionada, e referências confusas. O cenário pode ser reconhecido por muitos evangélicos, pois ocorre frequentemente. Pregadores muitas vezes usam bordões que, de certa forma, ficaram consagrados como “ditados bíblicos”, mas que na verdade nunca estiveram na Bíblia Sagrada.

Os “versículos novos”, termo usado pelo palestrante Hipólito Cesar para se referir às frases de efeito que são vendidas como sendo bíblicas, são inúmeros. “Não vou lhe dizer que essa prática seja imprópria, mas é bom conferir tudo o que se ouve, para evitar situações constrangedoras… Na igreja de Beréia, os cristãos recebiam de bom grado as pregações. Mas não as recebiam como verdades bíblicas sem antes conferir nas Escrituras (Atos 17:11)”, afirma Hipólito.

Entre as mais usadas nos púlpitos das igrejas, estão frases como:

“A voz do povo é a voz de Deus”
“Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”
“Da semente da mulher levantarei um que esmagará a cabeça da serpente”
“Deus cegou os entendimentos dos incrédulos”
“Eu venci o mundo, e vós vencereis também”
“Deus tarda mas não falha”
“Dize-me com quem andas e eu te direi quem és”
“Não cai uma folha de uma árvore, se Deus não permitir”
“A palavra de Deus se renova dia após dia”
“Deus escreve certo, por linhas tortas”
“Quem não vem pelo amor, vem pela dor”
“Você não nasceu para ser calda nasceu para ser cabeça”
“Deus não escolhe os capacitados mas capacita os escolhidos”

A questão em torno da existência dessas frases, segundo o escritor e colunista do Gospel+, Daniel Simoncelos, é o pouco preparo: “Infelizmente isto acontece devido à falta de conhecimento bíblico de muitos líderes cristãos. É impressionante o número de cristãos que nunca leram a bíblia toda, e por isso muitas igrejas que pregam heresias estão abarrotadas de pessoas que são enganadas por seus pastores que ou citam versículos isolados interpretando de forma errônea (o que não difere de inventar versículos) ou citam frases populares como se fossem textos sagrados”.

Segundo Simoncelos, “é preciso que o cristão não apenas leia a bíblia toda, mas que a leia todos os dias, se apaixone pelas escrituras, a leia de joelhos buscando viver aquilo que está lendo”.

A respeito das frases citadas, pesquisas rápidas podem desvendar a origem dos ditos populares que se “consagraram” no meio evangélico. Confira abaixo a explicação para as mais recorrentes:

A voz do povo é a voz de Deus
-Essa frase antibíblica e extrabíblica, é oriunda do latim “vox populi, vox Dei”, e é citada como se fosse bíblica! Quando Jesus andou na terra, a opinião do povo a seu respeito era variada. Uns o consideravam pecador (Jo 9.16) ou endemoninhado (Mt 12.24), e outros criam que era um profeta (Mt 16.13,14). Enquanto isso, a voz de Deus ecoava. “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo“ (Mt 3.17). Seria a voz do povo a voz do Senhor? – questiona o blogueiro Paulo de Aragão Lins.

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura
-Esse provérbio popular alude à persistência. Trata-se de um bom pensamento, mas extrabíblico! Conquanto não apareça nas páginas sagradas, realça o princípio da perseverança na oração (Mt 7:7,8; Lc 18:1-8). Isso, porém, não nos autoriza a citar a frase como se fosse um versículo inspirado da Palavra de Deus – contextualiza o palestrante Hipólito Cesar.

Da semente da mulher levantarei um que esmagará a cabeça da serpente
- É comum ouvir pregadores citando essa frase como sendo a primeira promessa com relação à obra redentora de Jesus. Mas essa promessa não aparece nas Escrituras. Em Gênesis 3:15, Deus disse para Satanás, personificado em uma serpente: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. É importante observar que o texto bíblico não usa o verbo “esmagar” e sim “ferir”. De acordo com a Palavra de Deus, o inimigo ainda não foi esmagado, isto é, derrotado por completo. Ele já está julgado (Jo 16:11), e, na cruz, Jesus o feriu (Cl 2:14,15). Entretanto, “… o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo de vossos pés” (Rm 16:20) – diz Hipólito.

Eu venci o mundo, e vós vencereis também
- É claro que através da vitória de Cristo todos os seus seguidores autênticos, nascidos de Deus (I Jo 5:4), se tornam mais do que vencedores (Rm 8:37). Não obstante, as palavras de Jesus em João 16.33 foram apenas: “Tenho-vos dito isto para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo“. O complemento “e vós vencereis“ é um acréscimo às palavras do Mestre, prática que ele mesmo proibiu (Ap 22:18). O que realmente Jesus disse? No mundo tereis aflições, mas, tende bom ânimo “eu venci“, (Quarto Evangelho 16:33 – parte b) – explica Paulo de Aragão Lins.

Deus tarda mas não falha
-Evidentemente Deus não tarda. Hb 10:37 “Porque ainda um poucochinho de tempo, e o que há de ir virá, e ‘não tardará’”. É provável que alguns façam uso de alguns textos como. Habacuque 2:3 “Porque a visão é ainda para o tempo determinado, e até ao fim falará, e não mentirá. Se tardar, espera-o; porque certamente virá, ‘não tardará’ ou Mt 25:5 “E tardando o Esposo, tosquenejaram todas e adormeceram”, etc. Aparentemente, pode parecer que Ele “tarda“, porém Ele “não tarda“. A) Para as virgens, Mt 25:5, “este tardar“, está inserido na concepção humana, Lc 12:45,46. B) Na parábola do juiz iníquo, Lc 18.7, o próprio Jesus declarou que para alguns Deus tarda, porém, acrescentou que “depressa“ ele atende (Lc 18:7,8” – contesta Lins.

Não cai uma folha de uma árvore, se Deus não permitir
- A Bíblia mostra claramente que Deus é o Controlador da natureza. Em Isaías 40:12-31, vemos como tem o Universo em sua mão e faz o que lhe apraz. Apesar disso, a frase em questão não é um versículo bíblico! Portanto, não encontramos este versículo em nenhum capitulo da Bíblia, por que ele não existe! – diz o blogueiro Lins.

A Palavra de Deus se renova dia após dia
-Não está escrito, que a “Bíblia“ se renova e sim as “misericórdias“ do Senhor, Lamentações 3:21,22 – afirma Lins.

Quem não vem pelo amor, vem pela dor
-É verdade que muitas pessoas, depois de passarem por uma dolorosa experiência, entendem a vontade de Deus (Dn 4:30-37; At 9). Entretanto, isso não é uma regra. Existem pessoas que nem mesmo pela dor se arrependem. Por isso, a Palavra de Deus alerta: “O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, será quebrantado de repente sem que haja cura” (Pv 29:1) – contextualiza Hipólito Cesar.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Torcedor é expulso de partida por ser parecido com Jesus



Um homem de 33 anos precisou ser retirado de uma partida de dardos em Minehead, Somerset, no Reino Unido, depois que os demais torcedores começaram a chamá-lo de Jesus.
Branco, com cabelos compridos e barba, Nathan Grindal, estava interessado em acompanhar de perto a final do jogo, mas foi levado até um bar próximo ao clube a pedido da organização do jogo.
O porta-voz da Corporação Darts Professional, Dave Allen, disse para a imprensa local que a decisão de retirar Nathan do jogo foi para evitar que sua presença se tornasse um incômodo para os jogadores.
“Eu não fui para os dardos vestido como Jesus. Eu fui como eu!”, declarou o australiano que mora nos Reino Unido há seis anos.
Vídeos mostram o momento em que ele é convidado a sair do clube escoltado por seguranças enquanto a multidão gritava por Jesus.
“Havia um monte de gente gritando ‘Jesus’ e, para evitar que o público deixasse de prestar atenção na competição, eu ordenei que os seguranças o levassem para uma outra parte do complexo”, disse Allen.As informações são do Jornal O Dia.
assista:
http://noticias.gospelprime.com.br/torcedor-e-expulso-de-partida-por-ser-parecido-com-jesus/

Pergunta: "O que é a Profecia Maia de 2012?"



Os antigos maias, com base em gráficos estelares, profetizaram que 21 de dezembro de 2012 seria o fim do mundo (ou pelo menos a data de algum tipo de catástrofe universal). Os gráficos estelares meso-americanos começaram por volta de 680 AC na civilização olmeca, a qual gravou padrões astrológicos e eventualmente compartilhou essa informação com os maias. Os maias tinham uma longa história de seguir o solstício de inverno (provavelmente para o plantio de culturas) e criar calendários (pelo menos 17 que conhecemos). Em algum momento, eles desenvolveram a crença de que o sol é um deus e de que a Via Láctea, que chamavam de "Árvore Sagrada", era uma porta de entrada para a vida futura. Depois de aprender com os olmecas, os maias mantiveram registros de padrões do movimento estelar pelos próximos 200-300 anos.

Os maias desenvolveram o seu próprio calendário (A Longa Contagem) cerca de 355 AC. Eles foram capazes de utilizar as suas observações e proezas matemáticas para calcular os movimentos futuros de estrelas no céu. O resultado foi que os maias descobriram o efeito de oscilação da terra ao girar sobre o seu eixo. Esta oscilação faz com que as estrelas se movam gradualmente no céu (um efeito chamado "precessão") em um ciclo de 5.125 anos. Os maias também descobriram que uma vez em cada ciclo a faixa escura no centro da Via Láctea (chamada de "Equador Galáctico") cruza o elíptico (o plano do movimento do sol através do céu).

Durante o ano da intersecção, o sol atinge o seu solstício (um breve momento em que a posição do sol no céu encontra-se na sua maior distância angular do outro lado do plano equatorial do observador) no dia 21 de dezembro para o hemisfério norte e 21 de junho para o hemisfério sul. Naquele tempo, o solstício ocorre no mesmo momento da conjunção do equador galáctico com a Via Láctea. O ano em que isso ocorre (em relação ao nosso calendário gregoriano) é 2012 DC e aconteceu pela última vez em 11 de agosto de 3114 AC. Com a mitologia maia ensinando que o sol é um deus e que a Via Láctea é a porta de entrada para a vida e a morte, os maias concluíram que este cruzamento no passado deve ter sido o momento da criação. Os hieróglifos maias parecem indicar que eles acreditavam que o próximo cruzamento (em 2012) seria uma espécie de final e de um novo começo de um ciclo.

Todas as chamadas "profecias maias de 2012" são nada mais do que extrapolações descontroladamente especulativas, com base em interpretações ainda incertas por estudiosos de hieróglifos maias. A verdade é que, além da convergência astrológica, há poucos indícios de que os maias profetizaram algo específico a respeito dos eventos em seu futuro distante. Os maias não eram profetas, pois não foram capazes de prever a sua própria extinção cultural. Eles eram grandes e talentosos matemáticos, mas também eram um povo tribal brutalmente violento com uma compreensão primitiva dos fenômenos naturais, exercendo crenças arcaicas e práticas bárbaras de derramamento de sangue e sacrifício humano. Eles acreditavam, por exemplo, que o sangue de sacrifícios humanos alimentava o sol e dava-lhe a vida.

Não há absolutamente nada na Bíblia que apresente 21 de dezembro de 2012 como o fim do mundo. Embora essa data não seja menos válida para um evento do final dos tempos do que qualquer outra data futura, a Bíblia em nenhum lugar apresenta os fenômenos astronômicos aos quais os maias apontavam como um sinal do fim dos tempos. Aparentaria ser inconsistente da parte de Deus permitir que os maias descobrissem uma verdade tão surpreendente e ao mesmo tempo manter os muitos profetas do Antigo Testamento ignorantes da cronologia das ocorrências. Em resumo, não há absolutamente nenhuma evidência bíblica de que a profecia maia de 2012 sobre a previsão do dia do juízo final seja válida ou provável em qualquer sentido.

Aceitar a profecia maia de 2012 exige a aceitação das seguintes teorias: o nosso sol é um deus; o sol é alimentado pelo sangue do sacrifício humano; o momento de criação ocorreu em 3114 AC (apesar de todas as provas de que aconteceu muito mais cedo); e o alinhamento visual das estrelas tem algum significado para a vida humana cotidiana. Como qualquer outra religião falsa, a religião maia buscava elevar a criação em vez do próprio Criador. A Bíblia nos fala sobre esses falsos adoradores: "Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si" (Romanos 1:25), e "Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis" (Romanos 1:20). Aceitar a profecia maia de 2012 também nega o claro ensino bíblico sobre o fim do mundo. Jesus nos disse: "Quanto, porém, ao dia e à hora, ninguém sabe, nem os anjos no céu nem o Filho, senão o Pai" (Marcos 13:32).

FONTE: www.GotQuestions.org/Portugues
Em Cristo,
MCA

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Reflexão Quarta-Feira

“Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele,
mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão. Mas se
ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que
‘qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três
testemunhas’. Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e se
ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou
publicano.” Mateus 18:15-17



   Hoje é tão comum ouvir pessoas afirmando que a atitude de Jesus
em relação ao pecado foi “ninguém julga ninguém”. Mas a verdadeira
postura de Jesus foi de confrontar e denunciar pecado sempre que
houver, e daí chamar o pecador ao arrependimento. O Mestre alertou
os discípulos para terem primeiro a consideração de tratar do
pecado em particular. Isso primeiro porque a impressão de um pecado
pode estar errada. Pode ser que o irmão não pecou. Mas também, se
houve pecado e o irmão reconhecer e se arrepender, é melhor que o
fato seja limitado àqueles que o souberam. Assim o infrator não
ter’a que sofrer no futuro por algo que pertence ao passado. No
entanto, se o pecado for confirmado, e o infrator se recusar a se
arrepender, é necessário que outros irmãos sejam envolvidos para
tentar persuadi-lo. Este processo chega finalmente ao conhecimento
da igreja, para que o mal não contamine outros. É preciso lembrar
que todo este processo de confrontação é reservado para pecado.
Diferenças de opinião, de interpretação das Escrituras, de costumes
e tradições não precisam do confronto. Estas fontes de conflito
entre Cristãos precisam de paciência, diálogo e muita compreensão.
Que Deus nos ajude a distinguir as coisas e ter a reação certa para
cada necessidade. Assim poderemos corrigir pecado quando houver, e
evitar provocar pecado onde não havia.

Apocalipse maia: pânico se espalha pelo mundo todo



Não importa o quanto os governos e especialistas desmintam a possibilidade de o mundo acabar dia 21 de dezembro, teorias divulgadas na Internet tem gerado pânico em vários lugares do mundo.
Até mesmo a NASA já desmentiu a possibilidade, mas muito se fala sobre o mítico planeta Nibiru, que poderia se chocar contra a Terra.
O pico Bugarach, uma montanha de 1.231 metros situada no sul da França, onde vivem 188 pessoas, é apontada como um dos únicos lugares seguros do mundo. O pequeno povoado, aos pés do maciço de Corbières e dos Pirineus, seria uma espécie de “pista de aterrissagem” para uma nave de extraterrestres. Segundo movimentos da Nova Era, eles poderão salvar algumas pessoas que estiverem no local. Embora o prefeito já tenha avisado que não quer “turistas apocalípticos”, há quem peça na internet 2,5 mil euros por barracas e tendas de campanha que podem ser instaladas nas florestas próximas ao refúgio e até mesmo a oferta de um “bunker” no local por 25 mil euros.
Segundo o relatório de 2010 da comissão francesa de luta contra as seitas, Miniviludes, “os adeptos do pico Bugarach propagaram diversas hipóteses ligadas às teorias apocalípticas: terremotos, tsunamis, inversão dos pólos magnéticos, aumento da atividade solar e a colisão com o planeta Nibiru”.
Ron Hubbard, que fabrica abrigos subterrâneos para sobrevivência de furacões, disse ter visto uma explosão no seu negócio. “Passamos de um por mês para um por dia”, disse. “Eu não tenho uma opinião formada sobre o calendário maia, mas quando os astrofísicos começaram a vir, comprar meus abrigos e me dizer para estar preparado para erupções solares, radiação, pulsos eletromagnéticos… Decidi que vou ficar debaixo da terra do dia 19 até o dia 23. é melhor me prevenir, caso algum deles esteja certo”. Os abrigos fabricados pela Atlas, empresa de Hubbard, devem ser enterrados a, no mínimo, 8 metros de profundidade e o mais barato sai por 15 mil dólares.
Na Rússia viu pessoas em Omutninsk, na região de Kirov, correndo para comprar querosene e suprimentos depois de um artigo de jornal, supostamente escrito por um monge tibetano, confirmou o fim do mundo para dia 21. Em Barnaul, perto das montanhas de Altai, os moradores compraram todas as lanternas e garrafas térmicas disponíveis no mercado.
Dmitry Medvedev, o primeiro-ministro russo, chegou a falar sobre a situação na TV, tentando acalmar a população.
Na China, que não tem um histórico de preocupação com o fim do mundo, testemunhou uma onda crescente de paranóia sobre o apocalipse desde o lançamento do filme “2012″, três anos atrás. Como o longa foi um sucesso na China, os telespectadores parecem ter assimilado a mensagem de que algo terrível ocorrerá com a humanidade. Na província de Sichuan, por exemplo, nos últimos dias houve uma corrida às lojas para se comprar velas. O motivo seria uma mensagem divulgada na rede social Sina Weibo (similar ao Twitter) sobre os “três dias de escuridão” que a Terra enfrentará a partir do dia 21. Em vários supermercados da região acabaram os estoques de velas.
Enquanto isso, no México, local da antiga civilização maia, esse “tempo do fim” está sendo encarado como uma boa oportunidade de lucro. O país divulgou que o turismo quase dobrou na região este ano e centenas de eventos serão realizados para comemorar o “apocalipse maia”.
Pedro Celestino Yac Noj, um sábio maia, afirma que apenas queimará sementes e frutos para marcar o fim deste calendário, em uma cerimônia especial. Mas ele explica: “O dia 21 é para dar graças e o 22 saúda um novo ciclo, um novo amanhecer.” Com informações de Telegraph.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails