"Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus lhes respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! porque o reino de Deus está dentro em vós." (Lucas 17: 20-21).

sábado, 27 de março de 2010

REFLEXÃO DE SÁBADO


E retirou-se outra vez para orar: “Meu Pai, se não for possível
afastar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua
vontade”. Mateus 26:42



Quando Jesus disse “faça-se a tua vontade” não foi sem medo ou
ansiedade. O ponto é justamente o receio e temor com qual Jesus
pronunciou estas palavras. Mas, maior que o medo daquilo que ele
desconhecia, foi sua confiança nAquele que ele conhecia. Quando
chegamos ao cruzamento das nossas decisões e escolhas, seja quão
difíceis forem, o mais importante não é algum dado ou fato que
sabemos, mas, Alguém que conhecemos. Por que não buscar conhecer
melhor Jesus agora? Quando chegar a hora da decisão você saberá em
quem você pode confiar.
hermnutica.com

Sr. Mario



Um belo dia de sol, Sr. Mário, um velho caminhoneiro chega em casa todo orgulhoso e chama a sua esposa para ver o lindo caminhão que comprara depois de longos e árduos 20 anos de trabalho.

Era o primeiro que conseguia comprar depois de tantos anos de sufoco e estrada.

A partir daquele dia, finalmente seria seu próprio patrão.
Ao chegar à porta de casa, encontra seu filhinho de seis anos,martelando alegremente a lataria do reluzente caminhão.

Irado e aos berros pergunta o que o filho estava fazendo e, sem hesitar, completamente fora de si, martela impiedosamente as mãos do garoto,
que se põe a chorar desesperadamente sem entender o que estava acontecendo.

A mulher do caminhoneiro corre em socorro do filho, mas pouco pôde fazer.
Chorando junto ao filho, consegue trazer o marido à realidade,
e juntos levam o garoto ao hospital para cuidar dos ferimentos provocados.

Passadas várias horas de cirurgia, o médico desconsolado e bastante abatido,
chama os pais e informa que as dilacerações foram de tão grande extensão,
que todos os dedos da criança tiveram que ser amputados.

Porém, o menino era forte e resistia bem ao ato cirúrgico, devendo os pais aguardá-lo no quarto.

Ao acordar, o menino ainda sonolento esboçou um sorriso e disse ao pai:

-Papai, me desculpe. Eu só queria consertar seu caminhão, como você me ensinou outro dia. Não fique bravo comigo.

O pai, enternecido e profundamente arrependido, deu um forte abraço no filho e disse que aquilo não tinha mais importância.

Não estava bravo e sim arrependido de ter sido tão duro com ele
e que a lataria do caminhão não tinha estragado.

Então o garoto com os olhos radiantes perguntou:

- Quer dizer que não está mais bravo comigo?

- É claro que não! – respondeu o pai.

Ao que o menino pergunta:
- Se estou perdoado papai, quando meus dedinhos vão nascer de novo?

Nos momentos de raiva cega, machucamos as pessoas que mais amamos,
e muitas vezes não podemos “sarar” a ferida que deixamos.

Nos momentos de raiva, tente parar e pensar em suas atitudes,
a fim de evitar que os danos seja irreversíveis.

Não há nada pior que o arrependimento e a culpa.

Pense nisto!

O Segredo



A história de Sansão, imagino que praticamente todas as pessoas que lerem este texto já conhecem ou ouviram falar sobre a vida de deste Herói da Bíblia.

Sansão era um homem separado, um nazireu de Deus (do hebraico nazir "consagrado", "separado), estes homens na condição de nazireu tinham uma vida diferenciada dos demais, não podiam ver mortos, não podiam beber bebidas fortes e nem comer comida imunda.

Sansão possuia também outro diferencial, não podia cortar os cabelos, pois no seu cabelo estava sua força, era o seu segredo, o segredo da sua vitória.

Bem sabemos que Sansão se envolveu com uma mulher que não deveria e entregou a Ela seu segredo, ou seja, se maior tesouro, o segredo de sua força, sua vitória, e por esse motivo, por ter entregado seu segredo perdeu tudo o que tinha, lhe cegaram os olhos, rasparam sua cabeça e ele perdeu sua força(leia Juízes 13 ao 16).

Nos nossos dias não é diferente, todos temos um segredo especial que nos diferencia dos demais. Deus entrega a cada um de nos um segredo, uma arma para vencermos.

Talvez sua arma seja o louvor, seja a adoração, a oração, o amor, a caridade, várias são as armas que Deus nos entrega como segredo da nossa vitória.

O que você tem feito com o segredo que Deus te entregou? Tem usado seus lábios para adorar a Deus ou tem usado para fofocar ou falar palavras torpes? está entregando o seu segredo em favor de exercito inimigo.

Talvez você tenha substituído sua adoração e sai por ai murmurando e contando sua vida para todo mundo.

Talvez você tenha feito caridade mais ao invés de manter em segredo, sai por ai declarando tudo o que fez constrangendo a pessoa que recebeu. Deixou de fazer caridade por amor e sim faz para engradecimento do seu nome, quando a bíblia nos ensina fazer com a mão direita sem que a esquerda saiba( Mateus 6:3).

Eu não sei qual é o segredo que Deus entregou em suas mãos, mas hoje pesso que não entregue o seu segredo, Sansão perdeu a vida ao entregar seu segredo, devemos procurar agir com sabedoria.

Sansão ao entregar seu segredo transformou uma história de vitórias e glórias em uma história de derrotas. A bíblia diz que Sansão se arrependeu e Deus devolveu a força que dantes ele possuía, Sansão quebrou as colunas do templo de Dagon e fez cair sobre seus inimigos, mas ele teve que morrer junto com Eles.

Não espere ser tarde demais para valorizar o segredo que Deus entregou em suas mãos, o use hoje, pois ele é a sua chave de vitória, não despreze o dom que Deus te deu Ele é a chave da sua vitória

Como Era a Cidade da Samaria



Samaria é o nome histórico e bíblico de uma região montanhosa do Oriente Médio, constituída pelo antigo reino de Israel, situado em torno de sua antiga capital, Samaria, e rival do vizinho reino do sul, o reino de Judá. Atualmente situa-se entre os territórios da Cisjordânia e de Israel. A cidade de Samaria foi tomada pelos assírios em aproximadamente 722 a.C.

A província da Samaria compreendia primeiramente todo o território ocupado pelas dez tribos revoltadas, as quais se reuniram sob o governo de Jeroboão. Estendia-se desde Betel até Dã, e desde o mar Mediterrâneo até à Síria e Amom. Este território foi diminuído pela inclusão das tribos de Simeão e Dã no reino de Judá - pelas conquistas de Hazael (2 Rs 10.32), de Pul e Tiglate-Pileser (2 Rs 15.29 - 1 Cr 5.26), e finalmente pelas vitórias de Salmaneser (2 Rs 17.5,6).

Depois deste último foi Samaria terra de completa desolação (2 Rs 17.23 - 21.13), sendo depois repovoada por estrangeiros durante os anos do cativeiro (2 Rs 17.24 - Ed 4.10).

A cidade de Samaria, capital das dez tribos, era uma praça forte, semelhante à de Jerusalém. Estava situada a meio caminho do Jordão ao Mediterrâneo, ao oriente da planície de Sarom, no alto de um monte oblongo, alcantilado de uma parte, e facilmente protegido pela outra.

Foi edificada por Omri, rei de Israel, que comprou o monte de Samaria a Semer por dois talentos de prata (1 Rs 16.24). os reis empreenderam muitas obras na cidade de Samaria para a tornarem forte, bela, e rica. Acabe construiu uma casa de marfim (1 Rs 22.39) - e o profeta Amós descreve a cidade como sendo a sede do luxo e efeminação (Am 3.15 - 4.1,2).

A vida de Acabe e a sua morte, e também o culto a Baal, acham-se relacionados com a cidade de Samaria (1 Rs 16.32 - 22.38 - 2 Rs 10.1 a 28 - 2 Cr 18). Foi ali que, o profeta Eliseu exerceu o seu ministério (2 Rs 5 - 6.1 a 20 - 7). Por duas vezes foi cercada a cidade de Samaria, mas sem resultado, pelos sírios (1 Rs 20.1 a 34 - 2 Rs 6.24 - 7.20), sendo tomada mais tarde, depois de um cerco de três anos.

O assédio, principiado por Salmaneser IV, foi concluído por Sargom no ano 722 a.C. (2 Rs 17.5,6). Os habitantes sofreram horrivelmente durante esse tempo, e esses sofrimentos acham-se descritos por Oséias (10.4,8,9) - e Miquéias (1.6) diz que a cidade foi reduzida a um montão de pedras.

Subjugada a cidade, mandou Sargom os seus habitantes para longe, estabelecendo-os em sítios que ficavam muito longe do país de Israel. Em conformidade com a política dos conquistadores da antigüidade, Sargom e, mais tarde, Esar-Hadom, repovoaram Samaria com gente da Babilônia, de Cuta, e de outras províncias longínquas, sendo o seu fim certamente destruir os sentimentos nacionais entre os povos conquistados (2 Rs 17.24 - Rd 4.2).

Os cutitas reedificaram até certo ponto a destruída cidade, e, quando os judeus voltaram do seu cativeiro, foi ali residir um certo número deles com suas mulheres estrangeiras (Ed 4.17 - Ne 4.2). Samaria assim continuou, sem grandes mudanças, até que Aulo Gabínio, enviado de Pompeu, a reedificou no ano 60, mais ou menos.

Permaneceu ainda como lugar insignificante até que Herodes a mandou novamente edificar, adquirindo essa cidade um esplendor ainda maior do que o de outros tempos, recebendo, então, o nome de Sebasta, que quer dizer Augusta, segundo o nome do imperador romano.

Por vontade de Herodes foi aquela antiga povoação convertida em cidadela, maior do que tinha sido em qualquer tempo, e para mais a embelezar mandou aquele rei construir um magnífico templo, do qual apenas se podem ver hoje algumas ordens de arruinadas colunas. Estas ruínas acham-se na parte exterior da atual pequena vila de Sebastieh, que representa hoje a antiga capital dos reis de Israel.

Depende da presença ou da ausência do artigo grego, em At 8.5, o ser ou não ser a cidade de Samaria mencionada no N.T. Herodes morreu no ano 4 (a.C.), quando a Samaria fazia parte dos domínios de seu filho Arquelau. Segundo a tradição, foi João Batista sepultado em Sebasta, e como prova desse fato se mostram as ruínas de uma igreja com o nome do pregador do deserto.

A província de Samaria, nos tempos do Novo Testamento, estava situada entre a Judéia e a Galiléia (Lc 17.11) - era limitada ao norte pela série de montes que formam o limite meridional da planície de Esdrelom e ao sul pela fronteira setentrional de Benjamim. Foi atravessada por Jesus Cristo (Jo 4.4 a 43), e em parte muito cedo recebeu a luz do Evangelho (At 8.5 a 25).

Betel, o lugar onde Jacob teve o sonho, foi um dos principais centros de culto durante o reino de Salomão.

Na atualidade é uma cidade nova, que pouco conserva dos tempos bíblicos. Em seus arredores, concretamente em Hai, pode-se ver, com um pouco de imaginação, restos de uma cidade cananéia.

Nablus, a 65 Km. de Jerusalém, foi fundada por Tito no século I.
É a cidade com maior população árabe.

O mais destacado é o Monte Garizim a 881 m. onde os samaritanos afirmam que é o lugar, onde foi o sacrifício de Isaías.

No alto encontra-se o templo onde realizam seus ritos. Outros dois locais são o Pozo de Jacob, no interior de um templo ortodoxo e as Ruinas de Siquem, a dois Km. de Nablus e que, apesar de não ser muito espetacular, é aconselhável sua visita.

Samaria a antiga capital do reino foi fundada no 876 aC. Constituiu uma importante cidade romana rodeada de muralhas e provida de fórom, teatro e casas.

Entrevista Pastor Armando - Adventista da Promessa

Essa semana fiz um entrevista para www.folhapimentense.com.br
com Pastor Armando da Igreja Adventista da Promessa, e hoje estou
publicando no meu Blog, veja como foi.

A Igreja Adventista da Promessa (IAP) teve sua origem no dia 24 de janeiro de 1932, quando o pastor João Augusto da Silveira recebeu o batismo no Espírito Santo, depois de passar alguns anos estudando sobre esse assunto.

De lá para cá, progressivamente, a IAP foi buscando sua própria compreensão das Sagradas Escrituras, sendo que, desde muito cedo, em sua história denominacional, reconheceu a Bíblia Sagrada como sua única regra de fé e prática, fundamentou sua crença na teologia ortodoxa, tendo como inspirados somente os sessenta e seis livros que compõem o Antigo e Novo Testamento.

Hoje, presente em 14 nações, a IAP segue caminhando em obediência à ordem dada por Cristo: Ide por todo mundo, pregai o evangelho a toda criatura.

O nosso entrevistado dessa semana é o Pastor Armando da Igreja Adventista da Promessa de Pimenta Bueno Ro.

Folha - Pr. Armando conte um pouco de sua família.

Pastor Armando: Armando Pinheiro da Mata (59 anos), esposa Vanda Alves da Mata, completando 38 anos de casados, cinco filhos, sendo três homens e duas mulheres, os três primeiros já são casados são eles: Alcione Alves da Mata; Alcivane Alves da Mata e Adriel Alves da Mata. Jônatas Pinheiro da Mata e Emilia Pinheiro da Mata são os dois últimos e estão solteiros. Tenho três netas e um neto. Todos são crentes graças a Deus ele me deu uma família maravilhosa. Amo minha família!

Folha – Quando e como aconteceu sua conversão?

Pastor Armando: Meus avós maternos e minha mãe eram crentes membros da Igreja Presbiteriana do Brasil, portanto tive minhas raízes no evangelho, na minha adolescência eu conheci a Igreja Batista, e a Igreja Adventista do 7°-, freqüentava essas igrejas, mas nunca fiz parte delas a não ser na minha infância acompanhando minha mãe. Só aos dezenove anos de idade quando comecei a investigar a Bíblia, com meu saudoso mano que já era Adventista da Promessa. No inicio do ano de 1970 fiz minha decisão, sou muito feliz por isso.

Folha – Onde fica IBP na qual é o seu ministério em Pimenta Bueno? Quantos membros têm?

Pastor Armando: A IAP – Está situado na Rua Tiradentes, 376 no Bairro Apediá. Temos um Salão na Rua Tapajós, na Nova Pimenta, onde funcionava nossa segunda igreja, por motivo de mudança do nosso pessoal hoje o salão está fechado. Os motivos são as mudanças a que a vida economia impõe, o povo acaba mudando a procura de melhora. Assisto mais duas congregações: uma na linha – 37 e outra na cidade de São Felipe. Temos apenas 98 matriculados na igreja de Pimenta, já tivemos um numero maior.

Folha – Quem foi João Augusto da Silveira?

Pastor Armando: João Augusto da Silveira serviu como pastor na Igreja do 7°- durante onze anos; pediu demissão do ministério Adventista porque creu e recebeu o batismo com o Espírito Santo. A igreja não admitia nem admite o dom de línguas estranhas como preceitua a Bíblia. Pr. João Augusto foi um homem integro humilde, sincero e convicto no cria e ensinava, não o conheci, mas conheço um dos seus filhos que ainda vive.

Folha - Como foi o crescimento da Igreja Adventista da Promessa no Brasil?

Pastor Armando: O crescimento da igreja Adventista da Promessa aconteceu pela vontade de Deus, o trabalho evangelistico, e as orações dos fiéis servos e servas de Deus, assim como seu surgimento.

Folha – Qual é a diferença da Adventista do 7º Dia e da Adventista da Promessa

Pastor Armando: Não digo que somos diferentes; cremos na doutrina do batismo com o Espírito Santo, esta foi a principal causa do seu surgimento, apartir daí surgem outros princípios bíblicos que nós cremos e pregamos.

Folha - Cada Igreja tem seu estilo de liturgia, louvor e adoração. O senhor acredita que o Espírito Santo se adapte a cada Igreja?

Pastor Armando: O Espírito Santo é Soberano; liturgia e dogmas são dos homens, a Palavra de Deus nos ensina a maneira correta de como devemos adorá-lo. Os homens é que devem se submeter à vontade Dele.

Folha - Como os cristãos mais maduros podem ajudar os mais novos a cresceram na fé e a desenvolverem um relacionamento mais íntimo com Deus?

Pastor Armando: Sendo cautelosos prudentes e incentivá-los a viverem uma vida de santificação na presença de DEUS. Na verdade não há um mecanismo para esse crescimento na fé, depende unicamente da pessoa vejam o que nos diz a palavra de Deus: “Deleita-te também no Senhor, e Ele concederá o que deseja o teu coração (Salmos 37:4)”. “Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei”. “E buscar-me-eis, e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jeremias 29: 12 – 13).

Folha - Algumas igrejas pregam a “teologia” da prosperidade. Qual a sua analise
sobre esse ponto?

Pastor Armando: Não pregamos pobreza; mas nesse campo há muitas interpretações incorretas, e muitos se alto beneficiando financeiramente, há muito que responder diante do tribunal divino; o homem colherá o que semear, o homem é livre para escolher o que quer, porém terá que responder por seus atos, gostando ou não, crendo ou não; como disse anteriormente a respeito do Espírito Santo, Deus é soberano e Onisciente, ninguém escapa dos seus olhos.

Folha - Qual é o perfil real do pastor de ovelhas?

Pastor Armando: É aquele que aceitou o chamado divino e não se envolve com os negócios desta vida, o pastor é um empregado de Deus, é alguém que cuida do rebanho de Deus, aquele homem que sabe ouvir, sabe aconselhar, na verdade o pastor verdadeiro sabe que tem uma missão demasiadamente delicada, pois a matéria prima com a qual trabalha é o ser humano, quer conduzindo pelas veredas ideológicas próprias da fé que confessa, quer conquistando almas perdidas, no afã de vê-las com os mesmos privilégios que tem as ovelhas do seu rebanho. Noites mal dormidas, refeições alteradas, programas modificados e sempre em detrimento dos que foram estabelecidos anteriormente. Esta é a constante na vida do pastor. A responsabilidade pastoral é muito grande e seu perfil está registrado na Bíblia este deve conhecer, o pastor precisa gostar de pessoas, e conviver com elas o dia a dia.

Folha – Muitas igrejas! Diferentes doutrinas! Qual está de acordo com a bíblia?

Pastor Armando: Deixamos que a Bíblia mesmo responda: veja o que Jesus disse a esse respeito: “A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim mesmo” (João 7: 16 – 17). Portanto examinando a Bíblia e a doutrina, saberá qual está de acordo com ela. Os homens sempre quiseram que Deus se adapte a eles, e não querem se submeter à sua vontade.

Folha - Com tantos escândalos envolvendo a vida de lideres como pastores e padres nacional e internacionalmente, o senhor acredita que a igreja está perdendo a confiança?

Pastor Armando: Não! Jesus disse: “... e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. Os pecados dos humanos jamais ofuscarão o brilho da Igreja vencedora. Ela triunfará gloriosa; os homens se deixam vencer pelas tentações e ilusões, muito desses são os mercenários, outros eram fies e caíram, mas a Igreja continuará fazendo o seu trabalho com os fiéis.

Respostas Rapidinhas:
Família: A família cristã
Livro Predileto: A Bíblia
Uma cor: Depende: para objetos gosto da cor vermelha, mas gosto também da cor azul céu.
Igreja: Adventista da Promessa.
Ministério: Pastoral, gosto do que faço.
Dinheiro: É bom, mas não é tudo.
Um Lugar: Brasil
Um Pastor: Moisés
Um Nome: Minha mãe Emilia
Deus: É tudo em todos

sexta-feira, 26 de março de 2010

Encontro De Adoradores

REFLEXÃO DE SEXTA-FEIRA


Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não
somente de crerdes nele, Filipenses 1:29

Quando lemos o livro de Atos, vemos os discípulos felizes no seu
sofrimento "por causa do nome". Porque Jesus já passou
vitoriosamente pelo mesmo tipo de sofrimento, devemos considerar
sofrer por causa de Cristo um privilégio, e não apenas uma
tribulação. A seriedade do nosso compromisso é mostrada melhor aos
céticos quando estamos sendo criticados e testados. Então, vamos
manter nosso caráter quando estamos sendo atacados e regozijar,
porque temos visto, através de Jesus, o que acontece quando os
filhos de Deus são fiéis, mesmo quando lhes custa a própria vida.
iluminalma.com.br

PARÁBOLAS DE JESUS


27 - Os Servos Inúteis - Lucas 17.7-10

Disseram então os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé. Respondeu o Senhor: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria Qual de vós, tendo um servo a lavrar ou a apascentar gado, lhe dirá, ao voltar ele do campo: chega-te já, e reclina-te à mesa? Não lhe dirá antes: Prepara-me a ceia, e cinge-te, e serve-me, até que eu tenha comido e bebido, e depois comerás tu e beberás? Porventura agradecerá ao servo, porque este fez o que lhe foi mandado? Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis; fizemos somente o que devíamos fazer.

– A Reação dos Discípulos Diante dos Desafios.

O Sentimento de Incapacidade Humana - “Acrescenta-nos a Fé” – 17:5.

Eles sentiram que, diante do ensino, o nível de fé que possuíam não estava à altura dos desafios. Por isso pediam: Fé para viverem de tal maneira a nunca se tornarem pedra de tropeço; Fé para deixarem de ser pedra de tropeço, conforme o caso; Fé para conseguirem repreender alguém em amor; Fé para perdoarem quando há arrependimento da outra parte; Fé para continuarem perdoando mesmo quando o arrependimento do outro parece ser apenas aparente.Você já se viu em situações em que acha não ter fé suficiente para vencer determinado desafio?

Enfermidade na família, desemprego, conflitos emocionais, etc., todos esses podem representar situações para as quais carecemos de uma medida maior de fé. Era assim que os discípulos se sentiam.
– A Provisão Divina Para o Cumprimento dos Desafios.

Uma Palavra de Autoridade - “Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te daqui, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria” – 17:6 Mesmo quando a fé parece ser pequena para tamanhos alvos, como a fé do tamanho de um “grão de mostarda”, podemos confiar que ao falarmos, determinando algo, assim se fará a nosso favor. Veja que o exemplo dado por Jesus toma-se por referencial uma amoreira que estava por ali, perto deles.

Talvez querendo que eles entendessem que não deviam estar preocupados com coisas distantes, mas apenas, com as que estivessem diante deles dia a dia. Enfatiza o poder da palavra liberada com fé, ordenando a remoção do obstáculo enfrentado, com autoridade. IV – Como Lidar Com as Expectativas Após a Tarefa Cumprida.

Considerando-se Um Servo Inútil - “Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer” – 17:10 Devemos permanecer humildes mesmo quando conseguimos cumprir o que Jesus mandou. Não pensando que somos especiais ou que alguma virtude temos em nós mesmos para isso.

Também que não esperemos nada em troca por qualquer ato vitorioso. Em outras palavras, somos desafiados a nos considerarmos apenas servos inúteis: não tendo sido uma pedra de tropeço,

cumprindo o papel de repreender alguém para restauração não nos gloriando por havermos perdoado alguem com humildade mesmo quando perdoamos mais do que o habitual

Os desafios de Jesus nos levam a encarar a nossa incapacidade humana. Tal senso de inadequação nos conduz ao clamor, que por sua vez gera uma resposta e uma provisão.

A provisão de Jesus para eles e para nós está no fato de usarmos nossa palavra de autoridade contra aquilo que se opõe ao nosso caminho. Quando obedecemos e vemos os resultados, certamente nos alegramos.

Que a nossa satisfação, porém, não nos conduza à soberba, como se tivéssemos algum mérito especial. A consciência de que somos servos, e servos inúteis que só fizeram o que era obrigação fazer, nos manterão sóbrios, para que o engodo de Satanás não encha o nosso coração de auto-suficiência ou independência de Deus.

Tapete Vermelho




Uma pobre mulher morava em uma humilde casinha com sua neta muito doente.Como não tinha dinheiro sequer para levá-la a um médico, e vendo que, apesar de seus muitos cuidados e remédios com ervas, a pobre criança piorava a cada dia, resolveu iniciar a caminhada de 2 horas até a cidade próxima em busca de ajuda.

Chegando no único hospital público da região foi aconselhada a voltar pra casa e trazer à neta junto, para que esta fosse examinada. Quando ia voltando, já desesperada por saber que sua neta não conseguia sequer levantar da cama, a senhora passou em frente a uma Igreja e como tinha muita fé em Deus, apesar de nunca ter entrado em uma Igreja, resolveu pedir ajuda.

Ao entrar, encontrou algumas senhoras ajoelhadas no chão fazendo orações. As senhoras receberam a visitante e, após se inteirarem da história, a convidaram para se ajoelhar e orar pela criança. Após quase uma hora de fervorosas orações e pedidos de intercessão ao Pai, as senhoras já iam se levantando quando a mulher lhes disse: - Eu também gostaria de fazer uma oração.

Vendo que se tratava de uma mulher de pouca cultura, as senhoras retrucaram: - Não é necessário. Com nossas orações, com certeza sua neta irá melhorar.
Ainda assim a senhora insistiu em orar, e começou. Deus, sou eu, olha, a minha neta está muito doente Deus, assim eu gostaria que você fosse lá curar ela Deus, você pega uma caneta que eu vou dizer onde fica.

As senhoras estranharam, mas continuaram ouvindo.

- Já está com a caneta Deus? Você vai seguindo o caminho daqui de volta pra Belo Horizonte e quando passar o rio com a ponte você entra na segunda estradinha de barro, não vai errar tá.

A esta altura as senhoras já estavam se esforçando para não rir; mas ela continuou. -

Seguindo mais uns 20 minutinhos tem uma vendinha, entra na rua depois da mangueira que o meu barraquinho é o último da rua, pode ir entrando que não tem cachorro.

As senhoras começaram a se indignar com a situação.

- Olha Deus, a porta está trancada, mas a chave fica embaixo do tapetinho vermelho na entrada, o senhor pega a chave, entra e cura a minha netinha. Mas olha só Deus, por favor! Não esquece de colocar a chave de novo embaixo do tapetinho vermelho senão eu não consigo entrar quando chegar em casa...

A esta altura as senhoras interromperam aquela ultrajante situação dizendo que não era assim que se deveria orar, mas que ela poderia ir pra casa sossegada pois elas eram pessoas de muita fé, e Deus, com certeza, iria ouvir as preces e curar a menina.

A mulher foi pra casa um pouco desconsolada, mas ao entrar em sua casinha sua neta veio correndo lhe receber.

- Minha neta, você está de pé, como é possível!

E a menina explicou. - Eu ouvi um barulho na porta e pensei que era a senhora voltando, porém entrou um homem muito alto com um vestido branco em meu quarto e mandou que eu levantasse, não sei como, eu simplesmente levantei.

E quase em prantos, a menina continuou. - Depois ele sorriu, beijou minha testa e disse que tinha de ir embora, mas pediu que eu avisasse a senhora que ele ia deixar a chave embaixo do tapetinho vermelho...

Um pouco de fé, leva-nos até Deus! Muita fé traz Deus até nós!

Um final de semana de muita fé...para que aconteça tudo aquilo que você
vive sonhando e trabalhando para que se realize.
Tudo tem sua hora!!

Rapido De Mais



Um jovem e bem sucedido executivo dirigia por sua vizinhança, correndo demais em seu novo Jaguar. Observando crianças se lançando entre os carros estacionados, diminuiu um pouco a velocidade, quando achou ter visto algo. Enquanto passava, nenhuma criança apareceu.

De repente um tijolo espatifou-se na porta lateral do Jaguar. Freou bruscamente e deu ré até o lugar de onde teria vindo o tijolo. Saltou do carro e pegou bruscamente uma criança empurrando-a contra um veículo estacionado e gritou:

- Por que isso? Quem é você? Que besteira você pensa que está fazendo? Este é um carro novo e caro, aquele tijolo que você jogou vai me custar muito dinheiro. Por que você fez isto?

- Por favor senhor me desculpe, eu não sabia mais o que fazer! Implorou o pequeno menino. Ninguém estava disposto a parar e me atender neste local.

Lagrimas corriam do rosto do garoto, enquanto apontava na direção dos carros estacionados. É o meu irmão. Ele desceu sem freio e caiu de sua cadeira de rodas e eu não consigo levantá-lo. Soluçando, o menino perguntou ao executivo:

- O senhor poderia me ajudar a recolocá-lo em sua cadeira de rodas? Ele está machucado e é muito pesado para mim.

Movido internamente muito alem das palavras, o jovem motorista engolindo "no imenso" dirigiu-se ao jovenzinho, colocando-o em sua cadeira de rodas. Tirou seu lenço, limpou as feridas e arranhões, verificando se tudo estava bem.

- Obrigado e que meu Deus possa abençoa-lo - a grata criança disse a ele.

O homem então viu o menino se distanciar... empurrando o irmão em direção a sua casa.
Foi um longo caminho de volta para o Jaguar... um longo e lento caminho de volta. Ele nunca consertou a porta amassada. Deixou amassada para lembra-lo de não ir tão rápido pela vida, que alguém tivesse que atirar um tijolo para obter a sua atenção.

Deus sussurra em nossas almas e fala aos nossos corações. Algumas vezes quando nós não temos tempo de ouvir, Ele tem que jogar um tijolo em nós. A sua escolha: ouvir o sussurro ou esperar pelo tijolo ?

Piedade e Sofrimento


"E na verdade todos os que querem viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições" (2Timóteo 3:12)

Ao olhar o cenário do mundo em que vivemos este versículo parece ser quase transparente. Parte por não termos nenhum expoente mundial no campo evangélico, como tivemos no século XX, parte por estarmos sufocados por um excesso de informações. Às vezes me sinto como se bebesse água em um hidrante...

E com isso a gente percebe menos que tem gente, sim, vivendo uma vida reta diante de Deus, ainda que longe da perfeição de santidade que Deus gostaria. Limitação humana, sem dúvida. As perseguições se tornam a cada dia mais sutis e mais difíceis de aceitar, pois embora não sejamos lançados na cova dos leões somos sempre "aqueles".

Experimente tentar comprar a crédito em uma loja de departamento e diga que sua
profissão é pastor ou missionário. Vai ser difícil ver a copa em tv nova...

Mas perseguição de verdade não é isso, e sim quando as autoridades estabelecidas dizem que a igreja não é relevante e portanto não precisa ser apoiada. Ou quando somos mais visados em nossos erros do que qualquer pessoa. Ou, em países diferentes do Brasil, onde cristãos e líderes cristãos são mortos, torturados, maltratados, expulsos, presos, apedrejados - ou coisa pior.

Aqui temos uma promessa de Deus: não adianta se iludir, que se for pra levar Cristo a sério, as coisas não serão fáceis. E posso dizer uma coisa de cadeira: se fosse fácil eu acho (e aqui só falo por mim) que acabaria me esquecendo de Deus, cedo ou tarde.

Glorifico a Deus pela vida que tenho, por minha família, pelos amigos que tenho, pela igreja local que faço parte e pelo meu pastor. Mas eu também deveria glorificar por toda vez que me perseguem por causa da seriedade com Deus.

"Pai, ensina-me a levar em conta todas as coisas a que sou submetido, a bem de aprender a Te agradar."
Mauro Fernades
ichtus.com.br

quinta-feira, 25 de março de 2010

REFLEXÃO - QUINTA-FEIRA


Depois, voltou aos seus discípulos e os encontrou dormindo.
“Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora?”, perguntou ele
a Pedro. Mateus 26:40


É impressionante o quanto Jesus desejava companhia humana. Ele
levou os discípulos consigo até o jardim. Ele pediu que os três
mais próximos o acompanhassem mais adiante. Agora ele reprendeu
Pedro por ter abandonado ele pelo sono. Embora Jesus é Deus, ele
entende os sentimentos humanos mais profundos. Quando estamos
sentindo solitários ou isolados, Jesus entende. Você tem alguém com
quem você pode dividir suas mais profundas angústias? Se Jesus
precisava, imagine nós.
hermeneutica.com

Como Era a Cidade de Damasco



Acredita-se que a cidade de Damasco, capital e maior metrópole da Síria, seja a cidade habitada mais antiga do mundo. Há registros de moradores desde 5.000 mil anos antes de Cristo. Damasco cresceu ao redor do Rio Barada e do Oásis de Ghouta, lugares onde a água tornava possível a vida em uma região árida e desértica.

Damasco fica no centro das rotas das caravanas mencionadas nas tábuas, escrituras antigas dos faraós, e no velho testamento. Desde a Antigüidade, muitos povos já ocuparam ou passaram pela cidade. Suas marcas podem ser observadas, por exemplo, em ruínas romanas, nos castelos medievais da época das Cruzadas e nos diversos monumentos erguidos pelos povos muçulmanos.
´
O clima milenar e histórico pode ser sentido principalmente na parte velha da cidade, cercada por uma grande muralha romana. A viagem pelo tempo começa na entrada, quando é preciso atravessar portais majestosos e imponentes.

No Souq al-Hamadiyyeh, um enorme mercado coberto que fica na Cidade Velha, as ruas de pedra e o telhado furado revelam as marcas do tempo.

O comércio é barulhento e colorido, bem característico do Oriente, e o burburinho faz parte do cenário. Continuando o passeio, por caminhos e ruelas que parecem um labirinto, é possível encontrar também os famosos banhos turcos, chamados por lá de hammams.

Mesquitas Existem muitas obras e jóias da arquitetura islâmica em Damasco. Construída no ano 705, a Mesquita de Omayyad ainda guarda mosaicos e minaretes de sua construção original. Junto dela, está o mausoléu de Saladin (um dos grandes heróis da história árabe), erguido em 1193.

Outra mesquita importante é a Takiyyeh as-Sulaymaniyyeh. Foi feita em estilo otomano, em 1554, e suas camadas de pedras pretas e brancas e minaretes longos chamam a atenção e impressionam.

Acervos milenares

Em um antigo campo militar, agora existe o Museu Nacional, que, assim como toda a cidade de Damasco, guarda relíquias importantíssimas do Mundo Antigo. Fazem parte de seu acervo peças que ajudam a contar a história do homem e das civilizações. Uma das exposições mais impressionantes é a que mostra ao público vários papiros escritos quatorze séculos antes de Cristo, utilizando o primeiro alfabeto conhecido no mundo.

Instrumentos cirúrgicos, encontrados nos túmulos de seus médicos, mostram uma parte da trajetória da medicina através dos tempos. Esculturas de mármore e terracota, armas de diversas épocas e outros objetos revelam a rotina e a vida de povos ancestrais, ajudando a montar o quebra-cabeça da história da humanidade.

Já no Palácio de Azem, construído em 1749, hoje funciona a sede do Museu de Artes e Tradições Populares da Síria. O prédio foi todo feito com basalto preto e rochas sedimentares brancas.

A Cidade Velha, também guarda importantes histórias e construções Cristãs. Foi ali que os discípulos tiraram Paulo por uma janela, para que ele fugisse dos seus perseguidores. No lugar, foi construída a capela de São Paulo.

Muitos séculos depois, o nome deste santo batizou uma cidade que viria a se tornar uma das maiores do mundo. Uma metrópole moderna e jovem que tem em sua lista de cidades-irmãs a antiga e milenar Damasco do apóstolo Paulo.

O Farmaceutico



João era dono de uma bem sucedida farmácia numa cidade do interior. Era um homem bastante inteligente, mas não acreditava na existência de Deus ou de qualquer outra coisa alem do seu mundo material. Um certo dia estava ele fechando a farmácia quando chegou uma criança aos prantos dizendo que sua mãe estava passando mal e que se ela não tomasse o remédio logo iria morrer.

Muito nervoso, e após insistência da criança, resolveu reabrir a farmácia pra pegar o remédio. Sua insensibilidade perante aquele momento era tal que acabou pegando o remédio mesmo no escuro e entregando a criança que agradeceu e saiu dali às pressas.

Minutos depois percebeu que havia entregado o remédio errado pra criança e que se sua mãe o tomasse seria morte instantânea. Desesperado tentou alcançar a criança, mas não teve êxito. Sem saber o que fazer e com a consciência pesada, ajoelhou-se e começou a chorar e dizer que se realmente existia um Deus que não o deixasse passar por assassino.

De repente, sentiu uma mão a tocar-lhe o ombro esquerdo e ao virar deparou-se com a criança a dizer:

"Senhor, por favor, não brigue comigo, mas eu cai e quebrei o vidro do remédio, da para o senhor me dar outro?”

PARÁBOLAS DE JESUS


30 - As Dez Minas - Lucas 19. 12-27

Disse pois: Certo homem nobre partiu para uma terra longínqua, a fim de tomar posse de um reino e depois voltar. E chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-lhes: Negociai até que eu venha.
Mas os seus concidadãos odiavam-no, e enviaram após ele uma embaixada, dizendo: Não queremos que este homem reine sobre nós. E sucedeu que, ao voltar ele, depois de ter tomado posse do reino, mandou chamar aqueles servos a quem entregara o dinheiro, a fim de saber como cada um havia negociado.

Apresentou-se, pois, o primeiro, e disse: Senhor, a tua mina rendeu dez minas. Respondeu-lhe o senhor: Bem está, servo bom! porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás autoridade. Veio o segundo, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu cinco minas. A este também respondeu: Sê tu também sobre cinco cidades. E veio outro, dizendo: Senhor, eis aqui a tua mina, que guardei num lenço; pois tinha medo de ti, porque és homem severo; tomas o que não puseste, e ceifas o que não semeaste. Disse-lhe o Senhor: Servo mau! pela tua boca te julgarei; sabias que eu sou homem severo, que tomo o que não pus, e ceifo o que não semeei; por que, pois, não puseste o meu dinheiro no barco? então vindo eu, o teria retirado com os juros.

E disse aos que estavam ali: Tirai-lhe a mina, e dai-a ao que tem as dez minas. Responderam-lhe eles: Senhor, ele tem dez minas. Pois eu vos digo que a todo o que tem, dar-se-lhe-á; mas ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado.
Quanto, porém, àqueles meus inimigos que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui, e matai-os diante de mim.
Aqueles Que Guardam o Que Deveria Ser Compartilhado. São servos que não servem, aqueles que guardam o que receberam da parte de Deus em vez de cumprir o propósito de abençoar os outros. Tudo o que Deus faz é com um propósito. Os dons, talentos, bem como as oportunidades que Ele concede, giram em torno de propósitos abençoadores.
Ele é um Deus de amor que deseja fazer chegar às pessoas todos os benefícios de que elas necessitam. No entanto, Ele precisa de pessoas que sejam canais através dos quais tais bênçãos possam chegar ao seu destino. Tem sido você um servo consciente de que suas habilidades, dons e oportunidades, vieram de Deus para abençoar vidas?

Aqueles Que Não Conhecem a Deus Intimamente. O homem da parábola deixou de fazer o que tinha para fazer porque a sua visão acerca de seu senhor era distorcida. Por não conhecê-lo bem, julgou que poderia ser castigado caso alguma coisa não desse certo em suas negociações. Tal julgamento, porém, estava errado. Se o conhecesse melhor, certamente se depararia com o amor e a pura motivação do coração dele; e então, esse amor se transformaria numa poderosa força motora que o levaria a dimensões mais altas ainda. Em vez de mergulhar nesse poderoso oceano, ele se deixou escravizar pelas correntes da desconfiança e da dúvida; e como conseqüência, simplesmente devolveu ao seu senhor exatamente o que tinha recebido.

“No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor” (I João 4:18). O amor de Deus agindo profundamente em nosso interior, aniquila a dormência, a paralisia e a escravidão do medo, e nos lança com intensidade numa obra produtiva em favor do Seu Reino.

Aqueles Que São Mesquinhos. O servo estava correto ao dizer que seu senhor tomava de onde não havia posto, e segava o que não havia semeado. Porém, ele deveria ver isso com bons olhos e não com maldade no coração. Deveria encarar aquilo como uma oportunidade para desenvolver suas habilidades, além de retribuir com gratidão toda a confiança nele depositada.

Assim como um pai encaminha bem a seu filho e espera que, do ponto em que o deixou, ele possa ir muito além, crescendo e desenvolvendo-se, assim é Deus para conosco. Nenhum pai gostaria que seu filho devolvesse-lhe o dinheiro empregado numa faculdade, depois de 4 ou 5 anos de investimento. O prazer dele seria o de ver esse investimento transformado em estabilidade profissional, alegria na família e conforto aos netos.

Se não entendermos as boas intenções de Deus que nos levam à expansão e desenvolvimento, nos tornaremos mesquinhos. A palavra “mesquinhez” vem do árabe miskín, e significa “pobre”. Às vezes a pobreza não está relacionada à falta de dinheiro, mas à falta de boa vontade, de generosidade, de desejo de expandir e de visão. Aqueles Que Agem Como “Avestruz”.Havia um mito de que o avestruz, quando em perigo, enterrava a cabeça na terra para se proteger do inimigo. Apesar disso nunca ter sido comprovado mediante a observação ao longo dos anos, o exemplo, no entanto, pode ser válido.

Na realidade, o servo agiu dessa forma, enterrando sua cabeça na terra para não lidar com a sua irresponsabilidade. Escondendo a mina em um lenço, ele negligenciou as pessoas a quem deveria servir, prejudicou seu senhor, deixando de investir o dinheiro dele, e desprezou sua própria missão, guardando para si o que deveria compartilhar. Quando o senhor chega, descobre que foi lesado ao receber o seu dinheiro de volta, desvalorizado.

Não podemos fazer como no exemplo do avestruz. Nossas ações ou omissões poderão Custar vidas preciosas, além de frustrar as expectativas de Quem nos comissionou. A parábola nós mostra o tipo de atitude que o verdadeiro servo de Deus nunca pode ter. Guardar para si o que recebeu para compartilhar, conhecer a Deus apenas de forma superficial, ser mesquinho quanto às coisas do Reino de Deus, e ignorar suas próprias responsabilidades, transformam o indivíduo em um servo inútil, que nunca poderá ser canal abençoador de vidas nem motivo de alegria ao coração do Pai.

Jugo Desigual




“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” (2Co 6.14.)

É verdade que todos queremos amar e ser amados. É fato que ninguém gosta de se sentir sozinho o tempo todo. Mas, será que vale a pena fazer de tudo para não ficar sozinho? Até mesmo entrar em um jugo desigual? Já ouviu falar nisso?
O que é um jugo? Pela definição entende-se que é uma barra ou armação de madeira, pela qual dois animais de tiro, especialmente bois, são unidos pelo pescoço ou cabeça, para o trabalho. Isto significa que um trabalho que seria feito por dois, para dividir o peso e ser levado de uma forma mais suave, acaba se tornando, desigual, uma vez que o peso maior ficará para um dos dois carregar. Se um carrega o peso maior, logo ele sofrerá mais que o outro.
Hoje em dia, infelizmente, os valores da sociedade estão corrompidos. Cada vez mais encontramos jovens que não se guardaram para o casamento, se envolveram com pessoas cujos valores são diferentes e o "ficar" tem se tornado algo cada vez mais normal. Os valores “mundanos” têm entrado nas igrejas, jovens frustrados com a área sentimental buscam, ou voltam a buscar, refúgio em relacionamentos no mundo, pois não encontram estrutura familiar ou uma liderança preparada o suficiente para ouvi-los e ajudá-los. Todos esses jovens têm em comum o mesmo desejo: um casamento abençoado no Senhor. Por que tantos fracassam nesse projeto? Por que os sonhos de alguns jovens têm sido destruídos?
Deus tem para todos nós pensamentos de paz e não de mal para nos dar o fim que desejamos. Ninguém espera ter um final triste. Ninguém deseja para si mesmo sofrimento, entretanto, conhecendo o que Deus tem para nós, o inimigo prepara ciladas a fim de destruir o plano perfeito de Deus, e uma dessas ciladas é o jugo desigual.
Afinal, por que teimamos tanto em namorar aquele cara ou aquela moça que não é cristão? "Ele é tão legal". "Ele não vai para a igreja, mas é uma pessoa muito boa". "Na igreja não encontro pessoas interessantes ou bons exemplos". "Não vejo problema nenhum em me relacionar com ele(a)". São algumas declarações que ouvimos por aí, mas até que ponto vale a pena arriscar a sua vida, seu relacionamento com Deus para se envolver com alguém que não tem os mesmos valores cristãos que você? Até que ponto vale a pena se submeter a um julgo desigual por medo de ficar sozinho? Até que ponto vale a pena sacrificar um futuro brilhante com Deus por causa de um relacionamento no presente que parece ser perfeito? E o que será desse relacionamento daqui há cinco, dez ou trinta anos? Se sobreviver.
Foi por isso que em Gênesis 24.4-67 vemos o encontro de Isaque e Rebeca. Abraão, como um pai muito sábio, pediu para o seu servo buscar uma esposa para seu filho no meio de sua "parentela". Abraão queria alguém do próprio povo dele. Alguém com os mesmos valores que Isaque, principalmente porque Abraão sabia que por meio da descendência dele, Deus abençoaria toda a terra. Abraão era um visionário e alcançou a promessa e Deus quer que você a alcance também.

quarta-feira, 24 de março de 2010

REFLEXÃO DE QUARTA-FEIRA


desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno
leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para
salvação, se é que já tendes a experiência de que o Senhor é
bondoso. 1 Pedro 2:2-3


A salvação é uma coisa preciosa! Porém, sabemos que algo está
horrivelmente errado se uma criança estaciona no mesmo lugar no seu
cresscimento ou maturação. Desenvolvimento retardado numa criança
física é a causa de muita preocupação. Hebreus 6 nos lembra que o
mesmo é verdade na nossa vida espiritual. Deus não quer que
sejamos imaturos! Deus quer que continuemos a crescer. Nosso Pai
quer que anseiemos o que é bom e o que nos edifica. Então, o que
você vai fazer hoje para satisfazer seu apetite espiritual e
crescer no Senhor?

Parabens Meu Filho Lucas






Hoje você faz dez anos, tento a cada dia me aperfeiçoar mais nessa prazerosa tarefa.

Anos em que aprendi muito mais com você do que você comigo, pode ter certeza.

Filhão conte sempre comigo, sou e serei sempre seu amigo, parceiro, terei sempre os braços abertos pra te abraçar e uma palavra de incentivo pra te dar.

Parabéns meu filho, de todo meu coração. E que você seja muito feliz e continue sendo a nossa felicidade, e que DEUS possa te abençoar a cada dia, e nunca se esqueça JESUS é o caminho a verdade e a vida...

“Do seu papaizão que te ama, Glademir

PARÁBOLAS DE JESUS


29 - O Fariseu e o Publicano - Lucas 18.9-14

Propôs também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo para orar; um fariseu, e o outro publicano. O fariseu, de pé, assim orava consigo mesmo: ó Deus, graças te dou que não sou como os demais homens, roubadores, injustos, adúlteros, nem ainda com este publicano.Jejuo duas vezes na semana, e dou o dízimo de tudo quanto ganho. Mas o publicano, estando em pé de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: ó Deus, sê propício a mim, o pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado; mas o que a si mesmo se humilhar será exaltado.


Cada um desses homens foi ao templo para orar. Mas a motivação deles era essencialmente diferente. Sua mentalidade era totalmente distinta em relação ao ato de orar.

Sobre o fariseu o Senhor Jesus pronunciou uma sentença clara: "Propôs também esta parábola a alguns que confiavam em si mesmos, por se considerarem justos, e desprezavam os outros." Com isso Jesus se referiu claramente ao fariseu, que pensava ser muito piedoso e por isso desprezava o publicano.

Se agora faço a pergunta: Ao lado de qual dos dois nos colocamos, do fariseu ou do publicano, com qual deles nos comparamos, com qual deles podemos nos identificar – o que responderemos?

Certamente a maioria de nós dirá sem refletir muito: ao publicano! Pois do publicano o Senhor disse: "Digo-vos que este desceu justificado para sua casa." Portanto, comparamo-nos ao publicano porque aos olhos de Deus ele é melhor do que o fariseu. Embora seja assim mesmo e, em nossa história, o fariseu é condenado por Jesus e o publicano está na condição de justificado.

Como nós nos apresentamos diante de Deus? Com que atitude oramos? Comparecemos diante de Deus com nossos pedidos como pessoas que sabem muito? Conhecemos muito da Bíblia, conhecemos a palavra profética e sabemos mais ou menos o que ainda está por acontecer.
Temos uma resposta pronta da Bíblia para qualquer questão que seja levantada.

Como os fariseus, muitos de nós têm a melhor confissão de fé que existe: "Creio na ressurreição dos mortos e na vida eterna". Mas temos também consciência sobre a nossa própria situação?

Finalizando, faço mais uma vez a pergunta decisiva: Como comparecemos diante de Deus? Com que mentalidade oramos? Como quem já sabe tudo e por isso só ora por obrigação – ou como alguém que está convicto de sua própria fraqueza e por isso busca o Senhor com ardente desejo interior? Em um dos Salmos encontramos a oração: "Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma.

A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo" (Sl 42.1-2). Somos pessoas que de fato têm sede e fome por um encontro com o Senhor – ou estamos contentes quando terminamos o nosso tempo diário de oração? Cada um de nós deve dar uma resposta sincera a esta pergunta.

Uma coisa é certa: A presunção, o fato de se considerar melhor que os outros, porque se sabe quão maus eles são, faz parte do jeito dos fariseus. Em nossa parábola, o fariseu conhecia muito bem a maldade das outras pessoas, especialmente deste publicano.

Mas se estivermos conscientes da nossa imperfeição no momento em que orarmos a Deus, então, como Jesus disse, voltaremos "justificados" para nossa casa. "Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado"(Mt 23.12).

O Prego



Temos que arrancar o prego do diabo!

Você conhece a história do prego do diabo? A história conta que um homem estava disposto a fazer qualquer coisa a fim de ser milionário; então o diabo mostrou-lhe uma mansão maravilhosa e disse que a daria, com uma condição:

"Está vendo aquele prego na parede? É meu, sempre será meu, você aceita?"
E o homem aceitou.

Anos depois, o homem ofereceu um banquete em sua mansão.

Foram convidados os homens mais importantes da cidade. A festa era um luxo e tudo estava superando as expectativas, quando alguém entrou e colocou um pedaço de carniça fedorenta no prego da parede.

O dono da mansão mandou chamar os seguranças e expulsou aquele intruso, mas então o diabo apareceu e disse:

"Um momento, o prego é meu e eu tenho direito de usá-lo como eu quiser."

Se Vocês Tivessem Vindo Antes



Um casal de missionário recém chegado para trabalhar na Índia estava à beira do rio Ganges - rio que corta quase todo país indiano.

O casal orava e observava atentamente as pessoas que ali faziam suas preces, que se banhavam nas águas sujas do rio, depositavam os cadáveres de seus entes queridos seguindo as leis do Hinduísmo e a multidão de turistas que ali estava para fotografar e receber uma bênção especial do rio mais sagrado, misterioso e adorado da Ásia.

De repente, uma cena estranha e bizarra lhes roubou a atenção. Uma mulher que descia em direção ao rio, com passos firmes e rápidos, segurava em seus braços uma criança imóvel e indefesa. Aquela mulher ao aproximar-se da margem do rio, desenrolou a criança que estava se mexendo lentamente e a lançou com toda força nas correntezas do Ganges. Tudo foi muito rápido, estranho e inesperado.

As águas barrentas do rio engoliram ferozmente a pobre criança indefesa, que não teve nem tempo de dar o último suspiro. Como será a reação de alguém que está se afogando em águas fundas e escuras de um rio? E como se sente uma criança de colo que se afoga sem ter o direito de chorar?

Após essa ação trágica e triste, a jovem mulher prostrou-se diante das águas e começou a fazer alguns rituais e súplicas. Coisas estranhas aos olhos de um cristão, que não está acostumado a ver tais práticas.

O casal de missionários, perplexo, resolveu se aproximar da jovem mulher para abordá-la, fazer-lhe algumas perguntas e, quem sabe, ajudá-la a mudar de vida:
- Quem era aquela criança? - Perguntou o casal.
- Era meu filho - Respondeu firmemente a jovem mulher.
- Você o amava?
- Claro que sim, eu o amava muito. Era meu único filho.
- Então, por que você o jogou no rio para que ele morresse?
- Porque o deus que eu sirvo me pediu como sacrifício vivo. Apenas o obedeci!

Naquele instante, diante de tal resposta, o casal movido de muita compaixão e amor por aquela mulher que estava cega pela religião hindu, começaram a falar-lhe sobre o amor de Deus por nós e o sacrifício que já foi feito por Jesus na cruz, para que não precisássemos mais fazer esse tipo oferenda viva.

Eles gastaram algumas horas conversando e orando por aquela jovem senhora. Ela entendeu o plano de salvação e com o coração quebrantado e arrependido, entregou a sua vida para Jesus. Decidiu abandonar aquela religião maldita.

Depois que entendeu o erro que havia cometido ao lançar o único filho ao rio, a mulher com os olhos cheios de lágrimas e soluços, fitou o casal de missionários e exclamou em alta voz: •.

- Se vocês tivessem vindo há algumas horas antes, para me falar sobre Jesus e o amor de Deus, o meu filho não estaria morto. Eu ainda o teria comigo em meus braços!

O que você faria se fosse um dos missionários que presenciou aquela cena inusitada? Qual seria a sua resposta a aquela jovem e triste mãe?

De quem é a culpa, quando tanta gente morre sem conhecer a Cristo?
Que possamos refletir, será que ontem, hoje não tem alguém perdendo suas vidas e a salvação?

Não tem ninguém para falar do amor de Cristo.
E nós onde estamos?
Pense Nisso!

terça-feira, 23 de março de 2010

REFLEXÃO DE TERÇA-FEIRA


Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e
orou: “Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice…”
-- Mateus 26:39a



Jesus disse “Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice”.
Para Deus, tudo é possível. Mas, nem sempre tudo que é possível é
dentro da vontade de Deus. A vontade de Deus nem sempre leva à
prosperidade, sucesso ou saúde aqui na terra. Jesus sabia disso e
fez uma oração consistente com esta realidade. Será que temos
chegado à maturidade espiritual que nos permita reconhecer e viver
em paz com esta verdade?
hermeneutica.com

Pára-Quedas


Certa vez, pai e filho foram voar de avião, era um avião pequeno e muito antigo, que um amigo os havia emprestado.

O filho tinha muito medo de andar de avião, e foi muito difícil convencê-lo a voar, mais depois de muita insistência, o pai o convenceu, e lá estavam.

O pai era piloto experiente, e sabia exatamente o que estava fazendo, ao contrário do filho que era medroso, e apavorava-se com qualquer coisa.

Tudo parecia tranqüilo, quando de repente veio um forte vento, e o aviãozinho começou a trepidar, o filho apavorado olhou para o pai, e ouviu como resposta: "Confie em mim".

O vento passou e inesperadamente veio uma grande chuva, e a visibilidade naquele avião era praticamente nenhuma, outra vez o filho atônito olhou para seu pai, e ouviu como resposta: “Confie em mim”.

A chuva passou, e quando tudo parecia calmo, uma fumaça negra começou a sair do motor do avião, dessa vez o filho ficou desesperado, e olhando para seu pai ouviu como resposta: “Confie em mim”.

O pai estagnou o avião, saiu da cabine do piloto e pra surpresa do filho só havia um pára-quedas.

Gaguejando o filho perguntou ao pai: “O que... que no... nós va... vamos fa... fa... fazer”!

Serenamente o pai pegou o pára-quedas, o colocou em suas costas, e ordenou que seu filho pulasse do avião sem pára-quedas. Não havia explicação para aquela atitude, o filho não podia entender aquilo, e mais uma vez olhou para o pai e ouviu como resposta: “Confie em mim”.

Vendo que não havia mais tempo, o filho resolveu depositar a sua confiança em seu pai, e pulou do avião. Enquanto caía viu seu Pai também pular do avião, e com muita habilidade seu pai o seguia no ar como se fosse um pássaro, indo a direção ao seu filho, foi chegando perto até que finalmente o alcançou, o segurou bem firme, e abrindo o único pára-quedas, salvou a vida de seu filho, que permaneceu agarrado ao seu pai.

Às vezes somos como esse filho, apavorados, medrosos, e por muitas vezes não entendemos a vontade de nosso Pai Celestial, mas em meio a todas as adversidades, nós olhamos para o Pai e ele nos diz: "Confie em mim".

Deus é assim, ele sempre sabe aquilo que precisamos, ele sempre sabe o que é bom para nós, ainda que não tenhamos a compreensão de seus desígnios, pois eles são inefáveis, mas mesmo assim se confiarmos nele, se acreditarmos que ele cuida de nós mesmo nas dificuldades, então terá a postura que Deus quer que tenhamos: A postura de aceitar, antes de entender.

Está sem pára-quedas?
Agarre-se ao Pai!
Ainda que seja difícil, confie.
Ainda que seja impossível, confie.
Ainda que você não entenda, confie.

Ainda que você não encontre explicações, tão somente confie, pois que confia no Senhor Jesus, ainda que passem por ventos, tempestades ou qualquer dificuldade, não serão abalados porque a sua confiança está naquele que sempre sabe o que faz!

Como Era a Cidade de Cafarnaum




Um pequeno vilarejo da Galiléia, situado sobre as margens do lago de Genezaré, por um certo momento entra na história dos grandes eventos.
Estamos nos inícios de nossa era, quando Jesus “deixando Nazaré, veio habitar em Cafarnaum, sobre as margens do mar, nas regiões de Zabulon e de Neftali”
( Mt. 4,13 ).

A partir daquele dia Cafarnaum, o vilarejo dos pescadores, torna-se a “cidade de Jesus”. “E entrando em um barco, ele atravessou e foi para a sua cidade”(Mt.9,1)Com a casa de Jesus em Cafarnaum, o vilarejo dos pescadores se torna a capital do reino messiânico do Evangelho.Das ruínas desta cidade duas coisas se destacam: a casa de Simão Pedro e o edifício da Sinagoga do Centurião romano.
Nesta série sobre Cafarnaum primeiro vem apresentada um panorâmica geral sobre a cidade e como eram as suas casas.

A cidade de Cafarnaum

Segundo as escavações feitas, Cafarnaum era uma cidade muito pobre, mas bem organizada, a semelhança das cidades planejadas, ela foi construída de forma octogonal, comum a cultura grega daquele tempo. A cidade escavada é dividida em nove partes, chamadas de insulae, dispostas sobre os dois lados da estrada principal ou cardo maximus, uma estrada muito importante, que unia o Egito a Síria indo até Damasco sua capital. Era ao redor desta que as pessoas construíam suas casas. As casas de Cafarnaum

As famílias se reuniam em clãs, ou seja moravam no mesmo terreno dividido em duas partes. No meio ficava um corredor disponível a todos. Um único ingresso, sempre munido de porta, separava as casas da estrada.

No corredor colocava-se os fogões à lenha, máquinas de grãos de tipo artesanal e as escadinhas de acesso ao teto. Ao redor destes pequenos pátios, ou corredores, estavam os cômodos onde moravam cada família pertencente ao clan: em geral as casas eram formadas por uma sala leito ( um único cômodo onde inclusive se dormia ), iluminada por uma série de janelas que davam para um pequeno corredor interno.

A característica destas habitações entorno a corredores comuns era a falta de portais com portas: cada casa era sempre aberta em respeito as outras. A única porta estava situada sobre a estrada e podia ser fechada por dentro. As salas de moradia eram construídas com muros de grossas pedras informes de basalto com adornos internos refinados afogados em uma massa de terra.

Os pavimentos eram feitos com rochas de basalto, lisas e arredondas pela erosão. Alguns desses vinham embelezados por um complesso de terra amarela. De frente a uma parede da sala se encontra ( em algumas casas ) um banco feito de pedras para apoiar os pequenos objetos domésticos como vasos, lâmpadas e outros.
Os tetos eram feitos com travessas de madeira para sustentar a laje feita de terra empastada com palha. Esse tipo de teto assegurava frescor e sombra, a luz da sala era mantida por pequenas janelas, essas não possuiam grades, eram inteiramente abertas para a entrada livre do sol.

Foi seriamente danificada no terremoto de 746 e reconstruída a uma pequena distância, mais ao noroeste onde se situa a atual igreja Grego-Ortodoxa. Pouco se sabe de sua história posterior, seu declínio e eventual abandono durante o século XI.

Não há vestígio de nenhuma grande construção no local, apesar do grande prestígio de Jesus.

Um andarilho viajante encontrou no século XIII apenas algumas cabanas de sete pescadores muito pobres.

O local foi redescoberto em 1838 pelo geógrafo Bíblico americano Dr. Eduard Robinson. O Capitão Charles W.Wilson em 1866, explorador britânico, identificou as ruínas da sinagoga e em 1894, a Custória Franciscana da Terra Santa Comprou uma parte do antigo sítio. As principais escavações franciscanas realizaram-se entre 1968 e 1984, e as escavações do sítio vizinho, greco-ortodoxo entre 1978 e 1982.

PARÁBOLAS DE JESUS


28 - O Juiz Iníquo - Lucas 18.1-8

Contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer.
dizendo: Havia em certa cidade um juiz que não temia a Deus, nem respeitava os homens.
Havia também naquela mesma cidade uma viúva que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário. E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, todavia, como esta viúva me incomoda, hei de fazer-lhe justiça, para que ela não continue a vir molestar-me.
Prosseguiu o Senhor: Ouvi o que diz esse juiz injusto.E não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que dia e noite clamam a ele, já que é longânimo para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Contudo quando vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?


Essa é uma ilustração maravilhosa de como Deus está pronto a atender a cada um de seus filhos.
Lendo o texto percebe-se que a chave é orar sempre e nunca esmorecer. A parábola nos fala a respeito de um juiz iníquo, perverso, injusto e cruel, que não temia a Deus e nem respeitava homem algum, e também de uma viúva que sempre pedia àquele juiz para que ele resolvesse a sua causa. Cansado de tanto ser importunado por ela, o juiz acabou solucionando o seu problema.

É interessante esse contraste: um juiz que não temia a Deus e nem respeitava ao homem pôde ser levado a fazer justiça a uma viúva que o importunava; quanto mais o Justo Juiz do universo poderá fazer por nós! O que Jesus deseja ensinar por meio desta mensagem é que o cristão deve ser encorajado a orar confiantemente em Deus. Deus sempre atende e está pronto a fazer isso a qualquer momento, pois ele é Deus e pode todas as coisas. Deus traz à existência as coisas que ainda não existem somente para abençoar seus filhos: “[...] perante aquele no qual creu, a saber, Deus, que vivifica os mortos, e chama à existência as coisas que não existem, como se já fossem.” (Rm 4.17).

Muitas pessoas podem estar como a viúva dessa parábola, sentindo-se desamparados e destituídos de todos os recursos. Entretanto, aquela viúva não desistiu. Ela orou e perseverou na busca por uma solução. Esta também deve ser a atitude de cada filho de Deus: orar e perseverar, buscando em Deus a solução para os problemas e dificuldades pelas quais se esteja passando.

Devemos, porém, nos lembrar que o desejo do coração de cada pessoa deve estar em conformidade com a vontade do Senhor. Muitas vezes a pessoa pede algo para Deus que não está de acordo com a sua vontade. Os mais apressados “passam na frente” de Deus, precipitam-se em suas decisões e logo depois sofrem as conseqüências, vendo que agiram erradamente. Deus tem o tempo certo para todas as coisas. Ele tem prazer em realizar os sonhos e desejos de seus filhos.

Finalmente, no versículo 8, encontra-se a seguinte pergunta: “Contudo, quando vier o filho do homem, achará, porventura, fé na terra?”. Será que Deus achará fé no coração daqueles que se dizem filhos de Deus? Ou encontrará corações vazios, sem esperança, sem Jesus?

não vamos deixar que nada tome a nossa fé, vamos aos pés do Senhor em oração incessante, na certeza que quando o Senhor voltar, Ele encontrará a fé em nossos corações.

segunda-feira, 22 de março de 2010

REFLEXÃO DE SEGUNDA-FEIRA


Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu
poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar
firmes contra as ciladas do diabo; Efésios 6:10-11



Muitas lutas nas nossas vidas não são apenas acidentes! Muitas
delas não são colocadas por Deus. Nossos desafios freqüentemente
vêm da mão do nosso inimigo, Satanás. Ele está sempre pairando ao
nosso redor, procurando o melhor esquema para nos derrubar do nosso
compromisso e relacionamento com o Senhor. Colocando-nos
firmemente nas mãos do Senhor e usando suas ferramentas de guerra
nos ajudará a derrotar nosso inimigo que já foi humilhado por Jesus
e a cruz.
iluminalma.com

Entrevista Pstor Luiz Carlos


A Igreja O Brasil Para Cristo fundada em 1956 pelo missionário Manoel de Mello, a Instituição que começou como um ‘movimento itinerante de evangelismo, cura e libertação’ – quebrou paradigmas religiosos, enfrentou a censura do regime militar e por fim se notabilizou como uma das maiores denominações evangélicas do país. Hoje para nossa entrevista fomos procurar o –Pastor Luiz Carlos Gonçalves que é membro e pastor responsável por essa denominação aqui na cidade de Pimenta- Bueno e também está todos os dias de segunda a sexta as 5:00h da matina até as 7:00h, fazendo o programa Sertanejo Gospel, e das 7:00 ás 8:30 nos sábados domingo das 11:30h as 12:00h “A Voz do Brasil Para Cristo” que é um programa de divulgação da igreja, todos esses programas na 87,9 FM.

1 - Para que o leitor do www.folhapimentense.com.br conheça o pastor Luiz Carlos um pouco melhor, conte-nos um pouco da sua família, sua conversão?

Pastor Luiz: Tenho 34 anos sou casado minha esposa se chama Berenice da Silva Ribeiro Gonçalves, tenho 02 filhos Luiz Felipe e Carlos Daniel, minha Conversão aconteceu na minha adolescência em 13 de maio de 1987.

2 - como e quando você foi chamado para o ministério pastoral?

Pastor Luiz: já exercia função ministerial, como presbítero e dirigia uma congregação no bairro setor 09 na cidade de Ariquemes, na companhia do Pastor Lucidio Brandão nos anos 2002 a 2004 e fui indicado por ele ao ministério pastoral.

3 – Já era Locutor de radio ou começou agora? Conte como começou esse “chamado”.

Pastor Luiz: na verdade, sempre procurei uma oportunidade em rádio, mas nunca tive a chance que estou tendo no momento, mas, não sei se era medo de encarar o desafio ou ainda não era a hora. Mas sempre dei entrevista, participação em programas evangélicos. E até inventei de cantar em dupla com viola e violão nas rádios de Ji-paraná em 92 Mas agora quando comecei a pastorear me vi obrigado enfrentar esse desfio por uma necessidade de divulgar a igreja.

- Quem foi Manoel de Mello?

Pastor Luiz: Foi um homem Visionário que plantou uma semente que nem mesmo o tempo foi capaz de destruir, mas junto com ele também tinha grandes homens de Deus. no livro a biografia de Manoel da editora OBPC vemos outros grandes nomes como, Gildo de Araújo,Olavo Nunes,e ele só conseguiu resultado em seu trabalho por que era amoroso com seus companheiros.e fundaram essa grande obra.

4 - Qual o foco principal da Igreja O Brasil para Cristo?

Pastor Luiz: Pregar O evangelho de Cristo sem criar conflito ou disputa por território, para nós é importante ter respeito com todos os seguimentos, mas discutir e convencer as pessoas contra a prática da idolatria, prostituição, e o pecado em geral, sem deixar de falar para as pessoas que Cristo salva, liberta, cura, batiza com o espírito santo, e as outras coisas (riquezas) acontece de acordo com a nossa perseverança e fidelidade a Deus.

5 - Qual o espaço da juventude dentro do ministério O Brasil Para Cristo?

Pastor Luiz: o melhor possível, nós gostamos de conjuntos musicais, teatros, coreografia, encontros de avivamento, retiro de camping, e também dependendo da capacidade ministerial, até obreiros. existe a JUBRAC( juventude unida OBPC que cuida disso em todas as igrejas.

6 – Em Pimenta Bueno qual o endereço de sua Igreja e tem quantos membros?
Pastor Luiz: Rua Prudente de Morais 676, no bairro jardim das oliveiras. contamos com 40 membros 30 congregados que são aquelas pessoas que ainda estão se firmando.

7 - Alguns cristãos crêem que quando se aceita Jesus, estamos libertos de maldições e investidas de Satanás. É necessário quebrar maldições? O que a Bíblia nos fala sobre isso?

Pastor Luiz: bom, nós cremos que, as investidas de satanás sempre vão acontecer, mas, a vitória é nossa pelo sangue de Jesus. Agora quanto a maldições, em deuteronômio 26 realmente a bíblia mostra muitas e vão até as gerações futuras, mas para ficar livre delas é só obedecer desenvolver a fé em cristo. Meu pai morreu doente porque bebia demais e tinha envolvimento com o ocultismo, mas eu minha família servimos a Jesus, se é que existia já foi quebrada. mas existem pessoas que vivem preocupadas com isso.

8 - Estudos indicam que no ano de 2020 os evangélicos serão 100 milhões no país, o que daria uma média de mais de 50% da população brasileira, estes são números relevantes. Como as igrejas devem se preparar para que este crescimento não seja somente em números, mas que realmente esta seja a resposta para um avivamento genuíno em nossa nação?

Pastor Luiz: existe um anseio por um avivamento, e Deus sempre quis fazer a parte que cabe a ele e isso não é de agora. mas existe muita fragmentação em meio aos cristão,exclusivismo,o que podemos chamar de o aparta id cristão..tipo minha igreja é melhor do que a sua.mas, vamos esperar, se Deus quer operar quem poderá impedir?

9 - A grande disseminação de uma imagem negativa da religião na mídia, como a divulgação de corrupções e pedofilia, transforma o posicionamento dos fiéis?

Pastor Luiz: sim, muitos ficam envergonhados e ao invés de lutar para mudar essa realidade abandonam a fé...

10 - Em sua opinião, se Jesus voltasse hoje às igrejas evangélicas estariam preparadas para subir com Ele?

Pastor Luiz: a palavra igreja não se refere a título ministerial e sim á noiva de Cristo, mas eu creio que muitas doutrinas e conformismos, irão despreparar até mesmos aqueles que já foram bem crentes... por isso não vou apontar o dedo mas é bom ficar vigilantes com muitos movimentos que tem se levantado.

11 - O jejum biblico ainda funciona nos dias de hoje?

Pastor Luiz: claro, com barriga cheia de churrasco e refrigerante a pessoa só quer sombra e rede pra dormir.

12 - Quais são seus objetivos como cristão? O que você ainda deseja realizar para a obra de Cristo?

Pastor Luiz: primeiro, dar um bom testemunho, e depois levar a palavra sem jogo de interesse pessoal,por que tem muitas pessoas sofrendo oprimidas e elas não são ricas e não terão condições de dar ofertas alçadas, temos de criar oportunidades para elas , se não elas vão Se perder.

13 - Como o senhor vê a música evangélica hoje?

Pastor Luiz: muito boa, mas com muito interesse financeiro por parte dos grandes artistas gospel, se são adoradores não deveria ter um cachê tão alto, e não devemos abandonar os talentos locais por que são eles que fazem nossos cultos acontecerem.

14 – Política e Religião podem andar juntos? Ou não podem se misturar?

Pastor Luiz: acho que por muitos anos os evangélicos foram omissos e não se importaram à situação política do paíz e fizeram de cegos, até alguns políticos evangélicos fizeram muito feio e escandalizaram a fé fazendo o que era errado. Mas acredito que exista alguém preocupado com a situação atual, e com certeza terão mais consciência quando forem eleitos, porque já está na hora. Mas, não concordo em usar o púlpito da igreja para fazer política, existem outras maneiras de apoiar.

15 - Qual é a mensagem que você pode deixar para nossos leitores?

Pastor Luiz: o pior analfabeto que existe é aquele que não quer saber da necessidade política do país, e se omite, simplesmente porque se baseia em situações passadas... E acho que deveríamos fazer mais políticos que defendessem o evangelho, pois sentimos que está acontecendo uma pressão por parte de outros movimentos que não querem nos deixar pregar.

Respostas Rapidinhas:
Família: é base. é nela que começa a igreja

Livro Predileto: bíblia. mas gostei muito de ler “os descobridores de Deus”autor: Tommy Tenney

Uma cor: azul

Igreja: corpo de cristo,

Ministério: louvor-pregação... amo louvar e ministrar em torno de um tema bíblico

Dinheiro: é bom, mas não devemos nos apegar a ele... ou fazer algo entorno dele

Um Lugar: quando eu puder tirar umas férias vou para salvador-BA

Um Pastor: no momento tenho aprendido muito com o Silas malafaia...

Um Nome: Jesus. esse não falha. O juiz de direito... acho fantástico a pessoa que faz a justiça.

Deus: o criador. E controlador de tudo. pai.conselheiro..a gente erra por falta de conhece-lo

Contato: obpcbuenoluiz@hotmail.com....ou 6999137402...

Amor Ao Próximo



Uma garota cega que se odiava pelo fato de ser cega!

Ela também odiava a todos exceto seu namorado!
Um dia ela disse que se pudesse ver o mundo, ela se casaria com seu namorado.

Em um dia de sorte, alguém doou um par de olhos a ela!

Então o seu namorado perguntou a ela:
Agora que você pode ver, você se casa comigo?

A garota estava chocada quando ela viu que seu namorado era cego!

Ela disse: Eu sinto muito, mas não posso me casar com você,
porque você é cego!

O namorado afastando-se dela em lágrimas disse:

Por favor, apenas cuide bem dos meus olhos,
eles eram muito importantes pra mim...

“Mestre, qual é o grande mandamento na lei?
Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento.
Este é o grande e primeiro mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.”( Mateus 22:36 a 39)

PARÁBOLAS DE JESUS


26 - O Rico e Lázaro - Lucas 16.19-31

Ora, havia um homem rico que se vestia de púrpura e de linho finíssimo, e todos os dias se regalava esplendidamente. Ao seu portão fora deitado um mendigo, chamado Lázaro, todo coberto de úlceras;o qual desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as úlceras. Veio a morrer o mendigo, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico, e foi sepultado. No inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe a Abraão, e a Lázaro no seu seio.
E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e envia-me Lázaro, para que molhe na água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que em tua vida recebeste os teus bens, e Lázaro de igual modo os males; agora, porém, ele aqui é consolado, e tu atormentado.
E além disso, entre nós e vós está posto um grande abismo, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem os de lá passar para nós. Disse ele então: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham eles também para este lugar de tormento. Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos.

Respondeu ele: Não! pai Abraão; mas, se alguém dentre os mortos for ter com eles, hão de se arrepender. Abraão, porém, lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos.


Aqui, pela providência Divina, o rico foi colocado em condições favoráveis para poder ajudar, sem dificuldade nem engenho, à um mendigo, deitado ao portão de sua casa. Mas, o rico mostrou-se totalmente surdo frente ao seu sofrimento. Ele somente se interessava por festas e cuidados consigo mesmo. A sorte de Lázaro na vida futura tem sido um conforto para todos os mendigos e os sofredores. Não tendo forças para ajudar os outros ou para praticar alguma boa ação devido à sua pobreza e doença, obteve de Deus a bem-aventurança do paraíso pelo seu paciente penar e sofrer. A menção de Abraão mostra-nos que o rico não fora condenado por sua riqueza, já que Abraão também era uma pessoa muito rica, mas que, contrariamente ao rico desta parábola, distinguia-se pela compaixão e amor ao próximo.
Alguns perguntam: não seria injusto e cruel condenar o rico ao sofrimento eterno, já que seus prazeres físicos foram somente temporários? Para encontrar a resposta à esta pergunta deve-se compreender que a felicidade ou sofrimento futuros não podem ser analisados somente em termos de paraíso ou inferno. Em primeiro lugar, céu e inferno são condições espirituais! Se o Reino de Deus, de acordo com as palavras de Deus, "encontra-se dentro de nós," então o inferno inicia-se na alma do pecador. Quando a pessoa tem a bem-aventurança de Deus, o paraíso estará dentro de sua alma. Quando as tentações e tormentas da consciência perseguem o indivíduo, ele sofre tanto quanto os pecadores que se encontram no inferno. Recordemos o sofrimento da consciência do cavaleiro, no conhecido poema de Puchkin, "O Cavaleiro Avarento": "A consciência é uma fera com garras que dilacera o coração; a consciência é um hóspede desagradável, um interlocutor enfadonho, um credor grosseiro!" O sofrimento dos pecadores será especialmente insuportável na vida futura, pois não haverá possibilidade de satisfazer suas paixões, nem de aliviar a carga da consciência através do arrependimento.
Portanto, o sofrimento dos pecadores será eterno.

Na parábola do Rico e Lázaro descortina-se o além, e dá-se a possibilidade de compreender a existência terrena na perspectiva da eternidade. À luz desta parábola percebemos que os prazeres terrenos não vem a ser tanto uma questão de sorte, e sim uma prova de nossa vontade de amar e ajudar ao próximo.

"Se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?" — disse Jesus ao concluir a parábola anterior. Ou seja, se não soubemos dispor corretamente da atual riqueza aparente, somos indignos de obter a verdadeira riqueza de Deus, que nos era destinada na vida futura. Portanto, vamos lembrar a nós mesmos que nossas riquezas terrenas pertencem, de fato, a Deus.

Ele prova-nos com as mesmas.

Humildade


HUMILDADE
Se observarmos bem os acontecimentos ao nosso redor, concluiremos que:
As gentilezas da vida diária estão cada vez mais escassas e que é difícil praticá-las.

Pequenos gestos que demonstram nossa preocupação com os outros estão em falta.
Por quê? Talvez pela falta geral de educação, ou se os valores caíram de moda.

Algum tempo atrás passava na TV um comercial em que um senhor tentava pegar um táxi debaixo da maior chuva. Encharcado, só com um jornal na cabeça, fazia gestos e, quando finalmente consegue, ele olha para o lado e ali tentando fazer à mesma coisa, estava uma mulher com sua filhinha, também encharcadas, cobrindo-se com um casaco. Eles se olharam e então vemos mãe e filha embarcando no táxi.

O comercial recomenda passar adiante atos de bondade. A que ponto chegamos para que seja preciso um anúncio de TV que nos lembre de praticar o bem. Em uma sociedade tão egoísta onde a lei praticada e a “da vantagem” devemos deixar que os valores vividos e ensinados por JESUS, sejam os nossos valores.

JESUS ENSINA QUE A HUMILDADE DEVE SER UMA PRÁTICA – Lc 14:7-11
Jesus aqui não está falando de boas maneiras, mas da vida espiritual, na qual a humildade é o primeiro requisito para a exaltação no juízo final. Deixa claro que Deus não honrará Seus filhos segundo a prática mundana de exaltar aos que têm influência nesta vida, mas segundo o exemplo de Cristo que Se ofereceu completamente, numa atitude de renuncia.

AS PESSOAS PRECISAM ENCHERGAR JESUS – Atos 3:4
Pedro nesta situação quando diz “olhe para nós!” quis chamar a atenção, como se dissesse “veja, JESUS está aqui”.
É exatamente isto que devemos fazer nos dias de hoje, precisamos muito mais que falar de JESUS, mostrar JESUS através das nossas atitudes. Assim como no texto de Atos, quando as pessoas vêm JESUS milagres acontecem. Tenha consciência de que as gentilezas praticadas não só falam de JESUS, mas permitem que as pessoas o vejam.

No tempo devido todos serão exaltados por pequenos gestos que fizermos.
Parabéns a toda equipe de valentes que trabalharam na realização de mais um Encontro com Deus, este que já é o 12º. Vocês mais uma vez demonstraram um grande exemplo de amor a Deus, humildade, serviço, dedicação, e excelência.

Gostaria de parabenizá-los pelo modo excelente com que vocês conduziram todo trabalho. Oro para que Deus os recompense por tudo isso, e Ele certamente o fará que vocês recebam o renovo, a força do Espírito Santo, e que prosperem ainda mais em cada área de suas vidas, e que cada semente plantada nesse final de semana produza a 30, 60 e 100 por um!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails